Brasília, 17/5/2013 – A condição de aproximadamente 4.700 refugiados, de mais de 70 países, que vivem atualmente no Brasil será tema de palestra promovida pela Comissão de Direitos Humanos da OAB/DF, no próximos dias 20 e 21 de maio, na sede da Seccional.

De acordo com o presidente da Comissão, Ulisses Borges de Resende, o Brasil é um país muito acolhedor, mas não existe um amparo satisfatório a esses refugiados. “Uma pessoa que chega ilegalmente ao país e tem o refúgio deferido, muitas vezes, está apenas com a roupa do corpo, não conhece o idioma, não tem para onde ir”, comentou.

Na questão dos Direito Humanos, a Comissão quer colaborar para a construção de uma política pública voltada para os refugiados. “Queremos propor a construção de abrigos para que eles possam permanecer durantes alguns meses, até estarem inseridos na sociedade”, disse o advogado. Ulisses Resende afirmou, ainda, que políticas de geração de renda e qualificação profissional devem ser implementadas.

Será realizado no Brasil um estudo sobre a situação dos refugiados, coordenado pela Agência da ONU para Refugiados (Acnur) e pelo Comitê Nacional para os Refugiados (Conare). A iniciativa contará com o auxílio do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) para promover um estudo sociodemográfico com o intuito de traçar o perfil dos refugiados e apátridas.

Por esse motivo, foram convidados para o debate representantes da Acnur, do Conare, estudiosos do assunto e refugiados.

Reportagem – Tatielly Diniz
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF