Brasília, 04/04/2012 – A vice-presidente da Fundação de Assistência Judiciária (FAJ) da OAB/DF, Lúcia Divina Barreira Bessa, tornou-se uma das integrantes da equipe formada por quinze representantes do Governo do Distrito Federal e da sociedade civil responsáveis por elaborar e coordenar a política de enfrentamento à violência contra a mulher. “A participação da Ordem nesse processo é proeminente. A entidade sempre teve importância preponderante na sociedade, transcendendo a função de órgão representativo da classe dos advogados”, ressaltou a advogada Lúcia Bessa.

Para efetuar esse trabalho, o GDF criou a Câmara Técnica Distrital de Gestão e Monitoramento do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, que funcionará sob a coordenação da Secretaria da Mulher do DF. Para compor essa equipe, o GDF apostou em pessoas tradicionalmente envolvidas na luta contra esse problema, a exemplo de Lúcia Bessa, eleita a representante titular do Conselho Distrital dos Direitos da Mulher na Câmara Técnica. Na suplência está outra atuante conselheira da OAB/DF, a advogada Marília Gallo.

Segundo o presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, a Seccional tem um histórico de exercício intransigente na defesa dos interesses da sociedade como um todo, aliando-se e agindo em sua defesa. E não está sendo diferente quando se alia à causa das mulheres, respeitando as diferenças e suas especificidades. “A luta pelo empoderamento da mulher é de todos. Assegurar a igualdade de condições e direitos é uma batalha que só venceremos com o efetivo conjunto de toda a sociedade”, afirma.

Câmara Técnica

Diante do assustador crescimento da violência contra a mulher no DF, Lúcia Bessa está convicta da urgente necessidade de se colocar um freio nessa “realidade injusta e predadora”. Acredita que a Câmara Técnica é certamente um instrumento que auxiliará no planejamento e na execução das ações, dos avanços e desafios para a implementação do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres no DF. “Para mim, participar desse processo é uma honra, além da grande e relevante responsabilidade”.

A Câmara Técnica foi instituída com vistas à elaboração do plano de trabalho do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres no âmbito do Distrito Federal. A proposta deverá apresentar o detalhamento das ações a serem implementadas, o cronograma de execução, monitoramento e avaliação, garantia de orçamento específico para as ações, sugestões para o aperfeiçoamento e divulgação, além da avaliação política do processo.

Reportagem – Helena Cirineu
Foto – Valter Zica
Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF