Advogados que atuam na área trabalhista confirmaram na noite de quarta-feira (25), em reunião da Comissão de Direitos Sociais da OAB/DF, uma posição que já havia sido anunciada pelo Conselho Federal da Ordem e pela Seccional. A categoria apóia a criação de um Tribunal Regional do Trabalho no Tocantins, que viria a ser o TRT da 25ª Região. O encontro reuniu advogados, magistrados e dirigentes de associações de classe. A comissão da Seccional é presidida pelo conselheiro André Vieira Macarini. “A criação de um TRT no Tocantins é importante por diversas razões, mas fundamentalmente porque desafogaria o TRT da 10ª Região, que a médio e longo prazo se tornará inviável com o aumento do número de reclamações trabalhistas em Tocantins”, justifica o secretário da comissão, Carlúcio Campos Rodrigues Coelho. “O número de processos que tramita em Tocantins já é superior ao número de processos que tramitava em Mato Grosso do Sul quando houve a criação do tribunal daquele Estado”, completa. O grupo de magistrados que lidera o movimento pela criação do TRT 25 também solicitou que a OAB nacional faça um estudo de viabilidade técnica e econômica do novo tribunal. Segundo Carlúcio, o custo da manutenção da Justiça do Trabalho em Tocantins, como apêndice do TRT da 10ª Região, equivale ao custo de criação do próprio tribunal. “É vantajoso para os advogados do DF, tanto quanto para os de Tocantins, na medida em que desafogaria o TRT 10”, conclui.

Também participaram da reunião: o coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB/DF, conselheiro Jomar Alves Moreno; a juíza Sandra Nara Bernardo Silva, titular da 10ª Vara de Brasília; o juiz titular da Vara de Dianópolis, Márcio Brito; o presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas do DF, Adelvair Pêgo Cordeiro.