Os assessores das secretarias de Governo e de Educação do Distrito Federal, Dalmo Péres e Maria Amélia Sasaki, estiveram na OAB/DF, na tarde de quarta-feira (4), para apresentar o programa Parceiros da Escola. O objetivo do projeto é incentivar o empresariado a colaborar com os estudantes da rede pública por meio de doações. Além disso, a empresa ficaria responsável por acompanhar o desempenho da unidade de ensino. Os professores foram recebidos pela presidente da Seccional, Estefânia Viveiros. O lançamento do programa está previsto para o dia 31 de julho. Nessa data, o governador José Roberto Arruda (DEM) pretende apresentar alguns “parceiros”. Hoje, 620 unidades de ensino compõem a rede pública do DF. Durante a apresentação, na sede da OAB/DF, Estefânia Viveiros ressaltou a missão da Ordem de zelar pelo direito à educação e disse que convidará as sociedades de advogados a participarem da iniciativa. O parceiro deve ter disponível de R$ 1 mil a R$ 5 mil por mês para investir em uma unidade de ensino escolhida. A idéia do GDF é recuperar a qualidade da escola pública com auxílio da iniciativa privada. O empresário não terá nenhum benefício financeiro em troca. “O investimento social se reverte em marketing social”, afirma Amélia Sasaki. Segundo a professora, a publicidade será feita pelo próprio governo. O empresário assinará um termo de compromisso com o GDF e deverá se envolver com todas as questões da escola. Segundo Amélia, não se trata de um programa assistencialista. Entre as metas do projeto estão: colocar todos alunos de sete a 17 anos na escola, alfabetizar as crianças até oito anos de idade e gerir o investimento em educação de forma eficiente e ética. O governo não terá controle sobre os recursos doados, que deverão ser geridos pelos próprios voluntários.