Publicação que traça radiografia do Judiciário no Brasil será lançada no dia 10 de março, no STF, em Brasília

A quarta edição do já tradicional Anuário da Justiça dedica um capítulo especial à OAB e sua atuação ao longo de 2009. A publicação enfoca um resumo da gestão de Cezar Britto, apresenta um perfil e diretrizes no novo presidente, Ophir Cavalcante, além de fazer um balanço da atuação da entidade no último ano. De acordo com o texto do Anuário, “com um corte mais político que jurídico, a OAB promoveu diversas campanhas” e mostrou que pode “ser liderada sem ter os interesses corporativos como diretriz”. “Para muitos, o Anuário Jurídico tornou-se ferramenta de consulta e instrumento de trabalho”, declarou o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, sobre a publicação. “Nada falta de informação ou análise”, complementou ele. “O Anuário da Justiça é fonte de referência para todos os operadores do Direito. Leitura obrigatória, da qual me socorro com assiduidade para aprofundar os meus conhecimentos sobre a numerosa comunidade jurídica brasileira”, afirmou o presidente do STJ, Cesar Asfor Rocha. Fruto de parceria entre o Conjur (Consultor Jurídico) e a FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado), o Anuário Jurídico apresenta a mais completa radiografia da cúpula do Judiciário brasileiro. Além de registrar o choque de realidade sofrido pela Justiça em 2009, o Anuário põe em evidência o perfil das mais altas autoridades judiciais do país e de suas obras. Em suas 320 páginas, estão os 97 perfis dos ministros que integram o Supremo Tribunal Federal e os tribunais superiores de Justiça, do Trabalho, Eleitoral e Militar. Também relata as 279 decisões tomadas nas Cortes Superiores e que mais impacto tiveram no dia a dia dos brasileiros. Foram 98 do STF, 100 do STJ, 10 do STM, 46 do TST e 25 do TSE. Traz ainda a mais abrangente análise dos acontecimentos recentes envolvendo Justiça e Direito. Além de apresentar o já tradicional ranking de inconstitucionalidade das normas julgadas pelo STF, a edição 2010 do Anuário descreve as 300 novas leis federais aprovadas pelo Congresso no último ano, com destaque para aquelas que mais diretamente dizem respeito ao sistema de Justiça. A obra apresenta o grande esforço feito pela Justiça para se tornar efetiva na vida dos brasileiros. Finalmente, tribunais e juízes deram uma resposta concreta à crescente demanda dos cidadãos que buscam soluções para litígios e pendências. O Anuário da Justiça 2010 faz um relato detalhado das ações postas em prática a fim de superar a histórica morosidade do Judiciário. Conta o que foi e o que significou o desafio da chamada Meta 2 que resultou no julgamento de cerca de 2,5 milhões de ações que esperavam sentença há mais de cinco anos. Outro exemplo de esforço feito por toda a magistratura foram os Mutirões Carcerários que tiraram da cadeia mais de 18 mil pessoas presas indevidamente.

O lançamento do Anuário da Justiça 2010 – a quarta edição da obra – vai acontecer no dia 10 de março, 18h30, no Supremo Tribunal Federal, com a presença do presidente da Casa, ministro Gilmar Mendes. Produzida por uma equipe de 30 profissionais da área de jornalismo e marketing sob a orientação da revista eletrônica Consultor Jurídico, e com o apoio institucional da Faap – Fundação Armando Álvares Penteado , o Anuário da Justiça 2010 confirma sua presença, mais uma vez, como ferramenta indispensável para os agentes da Justiça e os operadores do Direito.

PARA ADQUIRIR O ANUÁRIO

A quarta edição do Anuário da Justiça tem tiragem de 20 mil exemplares. É possível reservar um exemplar acessando o site da Loja ConJur. Para obter mais informações ligue para o telefone (11) 3094-7489.