Brasília, 28/05/2013 – No segundo dia da Conferência Cultura e Legalidade foi discutido o combate ao tráfico de drogas e a triangulação dos Países Andinos, o Brasil e a Itália. O evento contou com a presença do ex-presidente do Conselho Federal da OAB, Cezar Britto, do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça, Carlos Fernando Mathias de Souza. 

A Conferência tem o apoio da OAB/DF, por meio da colaboração da advogada ítalo-brasileira e membro da Comissão de Prerrogativas, Elaine Starling, em parceria com o Instituto Siciliano Fernando Santi. O evento segue até amanhã (29), na sede da Seccional.

Representando o presidente Ibaneis Rocha, o tesoureiro da OAB/DF, Antonio Alves, disse que o “combate às drogas deverá ser primordial em qualquer lugar do mundo. Sabemos do efeito maléfico delas na pessoa e na família”, disse.

Cezar Britto afirmou que a Ordem tem como papel zelar pelo Estado Democrático de Direito e a discussão sobre o assunto é de extrema importância. “Temos de internacionalizar essa questão. A Ordem tem papel fundamental no combate ao tráfico”, disse.

Italia 27-05-2013 002Mediador dos debates, o fiscal anti-máfia da Itália, Antonio Ingroia, disse que o tráfico de drogas é um dos problemas mais graves do mundo. “Ocasiões como esta não servem apenas para ouvir e confrontar, mas para criar uma plataforma comum sobre a qual poderemos trabalhar”, opinou.

O capitão Freddy Eduardo Huallpara Ramírez, chefe da divisão de inteligência GIOE/CCOAN da Polícia Nacional da Bolívia, apresentou a questão da produção da cocaína em seu país. “As estratégias da Bolívia contra as drogas são fortalecer os mecanismos de intervenção e os operadores de Justiça. O ordem presidencial é ‘cocaína zero’, com redução da oferta, da demanda e do cultivo”, explicou.

O representante do Ministério do Interior na Embaixada da Itália em Brasília, Vittorio Gusmano, apontou as políticas de repressão na Itália. “Nós não temos possibilidade de resolver esse problema se não temos contato com a polícia dos outros Estados. Temos de trabalhar acompanhando a Legislação e tudo isso fica difícil porque os criminosos não agem assim”. Ele chamou a atenção sobre a forma de atuação. “Não adianta sequestrar dez quilos de cocaína se não confiscamos o patrimônio do traficante. Sem a possibilidade de comprar entorpecente, eles não conseguem segurar o tráfico”, pontuou.

O coordenador geral de Repressão a Drogas e entorpecentes da Polícia Federal do Brasil, Luis Busto Cezar de Souza, argumentou que a dinâmica do tráfico de drogas é extremamente rápida. “Não há como pensar em combate ao tráfico se não quebrarmos as barreiras fronteiriças. A cooperação internacional é o caminho”, salientou. Souza concordou com Vittorio Gusmano na questão de tirar as propriedades do traficante.

Compareceram ao evento o representante do vice-governador do DF, Tadeu Filippelli, o assessor Gustavo Aires, a representante da Confederação Nacional de Municípios, Mariana Boff Barreto, e a representante da Comissão de Ciências Criminais e Segurança da OAB/DF, Alana Sallet Diniz.

entrega de carteiras 28-02-2013 597Mostra fotográfica
Na manhã desta terça-feira (28), foi inaugurada mostra de 30 fotografias artísticas representando os lugares do itinerário árabe-normando do Cefalú, Monreale e Palermo, Itália, na sede da OAB/DF. A exposição é aberta a visitantes.

Reportagem – Tatielly Diniz
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF