Brasília, 25/06/2012 – Com a preocupação de manter a constância e o respeito ao Estatuto da Advocacia e da OAB, o presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal, Francisco Caputo, enviou ofício ao diretor-geral do Centro de Assistência Judiciária do DF (Caejur), Jairo Lourenço de Almeida, solicitando a verificação da graduação do supervisor dos serviços desenvolvidos no posto de atendimento da Defensoria Pública do Na Hora de Ceilândia. “O cargo é de competência do advogado, o que não vem ocorrendo”, destaca Caputo.

O presidente Caputo reconhece a importância do serviço que a Defensoria Pública do DF presta à população carente e observa que não é permitido fazer atendimento a pessoas com renda familiar mensal superior a cinco salários mínimos. “Isso, além de irregular, avança no mercado de trabalho da advocacia, fato que vem sendo denunciado por vários inscritos na OAB/DF”, reitera.

Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF