Brasília, 08/06/2011 – O presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, disse que o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados agiu corretamente ao aprovar o pedido de cassação do mandato da deputada Jaqueline Roriz. “A decisão está de acordo com a posição da OAB, dada a gravidade do fato revelado, que surpreendeu toda a sociedade brasiliense, em especial os eleitores que depositaram sua confiança na parlamentar, e manchou a Câmara dos Deputados”, declarou Caputo.

O relator, deputado Carlos Sampaio, recomendou a cassação com base no vídeo, gravado em 2006, que mostra Jaqueline recebendo dinheiro de Durval Barbosa, operador e delator do esquema conhecido como mensalão do DEM.

Em defesa da investigação

Em março, quando as imagens vieram à tona, o presidente da OAB/DF foi à Câmara expor a preocupação da sociedade de Brasília com o vídeo que mostra um suposto esquema de corrupção envolvendo uma representante do DF na Câmara. À época, Caputo defendeu que a Casa tinha instrumentos legais que possibilitavam a abertura de investigação contra a deputada Jaqueline Roriz. “O suposto esquema pode ter ocorrido em 2006, como o vídeo aparentemente nos demonstra, mas o fato político ocorreu agora, em 2011. Para nós, isso é motivo suficiente para a abertura de processo”.

Foto – Valter Zica
Assessoria de Comunicação – OAB/DF