Brasília, 02/05/2011 – O presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, participou na sexta-feira (29/04) da cerimônia de inauguração do Fórum Desembargador Joaquim de Souza Neto, o primeiro fórum sustentável brasileiro. Trata-se da primeira obra do Centro-Oeste dotada de conceitos inovadores de sustentabilidade e uma das 10 do país a receberem o Selo Ouro da entidade Green Building Council Brasil.

“O Fórum Verde é uma grande conquista para o DF. Símbolo de um poder público que demonstrar preocupação com os anseios da população, de ver cumprida a Constituição Federal que roga pela economia, pela eficiência dos serviços públicos e pela preservação do meio ambiente. Também representa o espírito de Brasília, de inovação, pioneirismo e modernidade”, destacou Caputo.

A cerimônia foi aberta com uma benção especial da Igreja Católica. Em seguida, os Correios lançaram o carimbo e o selo comemorativos em homenagem à data histórica para o Tribunal de Justiça do DF. As peças filatélicas trazem a imagem do Fórum Verde e de um ipê amarelo no mapa do Brasil, com a bandeira nacional ao fundo.

O governador Agnelo Queiroz elogiou a iniciativa do judiciário local pela construção do prédio ecologicamente correto. “É preciso muita coragem e ousadia para andar à frente do seu tempo. A obra agrega valor a toda a cidade”, destacou. Também anunciou que outras obras no DF passarão a ter as mesmas características, incluindo o estádio Mané Garrincha, em reforma para a Copa de 2014.

A cerimônia foi encerrada com o discurso do presidente do TJDFT, desembargador Otávio Augusto. “Muitas vezes há a necessidade de se mudar comportamentos. Buscamos aqui uma melhor convivência do homem com o meio ambiente. Desejo a todos os magistrados e servidores que vão atuar no Fórum Verde um trabalho proveitoso, em um local onde se respeita a natureza”.

O novo fórum, localizado no Setor de Administração Municipal, ao lado do Tribunal de Contas do DF, sedia oito Varas da Fazenda Pública da capital e a Vara do Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Fundiário. Sua construção integrou conceitos ecologicamente reconhecidos, desde a concepção do edifício, passando pela a retirada mínima da vegetação nativa no terreno e com aproveitamento máximo de iluminação natural e ventilação cruzada, para redução do uso de luz elétrica e ar-condicionado.

Reportagem – Demétrius Crispim
Fotos – Valter Zica
Assessoria de Comunicação – OAB/DF