Brasília, 29/03/2011 – O presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, junto com o vice-presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Banco Central do Brasil (Bacen), Fabiano Jantalia, reuniu-se na sexta-feira (25/03) com a diretora do Departamento de Modernização Institucional do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG), Catarina Moreira, para solicitar um tratamento excepcional às nomeações dos candidatos aprovados ao cargo de procurador do Bacen. Além da procuradora geral adjunta, Marusa Freire, candidatos aprovados de vários Estados, como Rio de Janeiro, Piauí e Santa Catarina, participaram da reunião. Durante a audiência foram discutidos os benefícios do investimento nas carreiras da advocacia pública. Caputo requereu que sejam nomeados pelo menos dez novos procuradores, a título emergencial, e que seja realizado um cronograma para o provimento das outras vagas necessárias para completar o quadro de profissionais da área jurídica legalmente fixado para a autarquia. Jantalia destacou que o interesse da Associação é de que todos os candidatos que foram aprovados sejam convocados. “Esse foi o concurso mais difícil que tivemos até hoje. São profissionais altamente qualificados, de que a instituição não pode prescindir. Estamos convictos de que o nosso pedido diferenciado é justo, premente e urgente. é impossível que um órgão da magnitude do Bacen consiga operar com apenas 60% de sua força de trabalho”. Catarina Moreira ressaltou que o momento é de restrição orçamentária, o que impõe limites a novos concursos e nomeações. Mas afirmou que ficou sensibilizada com a situação e se comprometeu a analisar e a repassar as informações e os pleitos à Secretária de Gestão. Para o advogado aprovado Leonel Paz de Lima, “a OAB/DF, como órgão de representação que pugna pelo aperfeiçoamento das instituições jurídicas, atuou de forma a atender os interesses dos advogados que trabalham no Banco Central. O Dr. Francisco Caputo demonstrou que a situação da Procuradoria deveria ser analisada de forma excepcional, tendo em vista a enorme carência de profissionais no setor jurídico e a existência de candidatos aptos a serem nomeados, sob o risco de haver prejuízo aos serviços prestados pelo órgão”. Segundo o advogado aprovado Hugo Fidelis, o apoio da Seccional foi essencial. “Foi dado um grande passo na luta pela nomeação. As expectativas são boas e aumentaram após a reunião. Apesar da afirmativa de que o momento é de arrocho fiscal, tivemos a certeza de que os casos peculiares realmente serão analisados como tal. Se tivermos que ouvir dez ou mais ‘;nãos’ para chegarmos a um ‘;sim’, persistiremos”. Reportagem: Thayanne Braga Foto: Valter Zica Assessoria de Comunicação – OAB/DF