Brasília, 07/06/2011 – A Comissão de Direitos Humanos da OAB/DF reuniu-se na segunda-feira (06/06) para tratar sobre o lançamento da cartilha de prevenção ao bullying, que está sendo produzida em conjunto com as secretarias de Justiça (Sejus) e de Educação e com o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe/DF). A Sejus já autorizou a impressão de 200 mil cópias, da tiragem total de um milhão de exemplares que serão distribuídos em todas as escolas do DF, em campanhas que incluirão palestras com especialistas e encenações teatrais didáticas.

“A cartilha está pronta e aprovada. Ouvimos cada um dos órgãos envolvidos e fomos bastante abertos com relação às mudanças sugeridas, texto, desenhos e diagramações”, esclareceu Charles Lima Junior, presidente da Subcomissão de Educação da Ordem.

A representante da Sejus, Renata Melo, destacou a importância da atuação conjunta para a concretização da cartilha. “O bullying é uma preocupação atual que aflige vários setores do governo e da sociedade. Tão logo soubemos que a OAB/DF tinha um projeto nesse sentido, unimos esforços para sua realização”.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos, Emens Pereira, planeja um evento com a presença de vários representantes dos setores de educação e saúde para o lançamento. “A cartilha será mais efetiva se englobar uma campanha de consientização. De outra forma, corremos o risco de que ela perca seu objetivo e se torne mais um panfleto”.

Bullying é qualquer situação de agressão intencional, verbal ou física, feita de maneira repetitiva, por um ou mais estudantes contra um ou mais colegas. De origem inglesa, o termo é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maus-tratos. Suas consequências vão desde a dificuldade de relacionamento e aprendizagem até depressão, suicídio e homicídio.

Reportagem – Demétrius Crispim
Foto – Valter Zica
Assessoria de Comunicação – OAB/DF