O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, abriu na noite de terça-feira (11), em Natal (RN), a 20ª Conferência Nacional dos Advogados, cujo tema é Estado Democrático de Direito x Estado Policial – dilemas e desafios de duas décadas de Constituição. Na abertura, Britto saudou a Constituição e a democracia. Em alusão à luta da OAB pela punição do crime de tortura, o presidente afirmou que a sociedade quer a anistia, mas não o esquecimento da violência no regime militar. “Não temos dúvida de que lado estamos. Queremos anistia; tortura e amnésia, não”, disse Britto. Participaram da abertura a diretoria do Conselho Federal da OAB – vice-presidente, Vladimir Rossi Lourenço; secretária-geral, Cléa Carpi da Rocha; secretário-geral adjunto, Alberto Zacharias Toron; e diretor tesoureiro, Ophir Cavalcante Junior –, além dos 27 presidentes das seccionais da OAB. Entre eles, a presidente da OAB/DF, Estefânia Viveiros. Também marcaram presença os conselheiros federais da entidade e alguns dos principais constitucionalistas brasileiros, como Paulo Bonavides, Fábio Konder Comparato, Celso Antonio Bandeira de Mello e José Afonso da Silva.

Fonte: Conselho Federal OAB