Publicação: Terça-feira, 24/04/2012 às 07:08:45

Uma outra tentativa de negociação para colocar fim à greve dos professores da rede pública do Distrito Federal foi levada até o governador Agnelo Queiroz, desta vez por meio da bancada do DF no Congresso Nacional. Apesar da reunião e da decisão do Tribunal de Justiça do DF (TJDF) para que 80% dos servidores voltassem ao trabalho, a paralisação deve continuar por tempo indeterminado, segundo o diretor jurídico do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF), Washington Dourado.

De acordo com o senador Rodrigo Rollemberg (PSB), líder da bancada, o governo não apresentou nova proposta que atenda às reivindicações dos grevistas. “A ideia é que a bancada possa construir uma nova possibilidade de negociação”, disse. “Ainda vamos conversar com as lideranças dos professores, mas acredito que até amanhã (hoje), quando acontece a assembleia, não seja possível mudar a decisão do Sinpro”, lamentou o parlamentar.

Rollemberg acredita que se houver boa vontade dos dois lados é possível retomar as aulas. “Basta que o governo reduza o prazo de incorporação da gratificação dos professores e amplie o auxílio-saúde para que tudo termine sem vencedores e vencidos”, destacou.

VISITA

A reunião com o governador teve a presença de deputados federais do PT, além do reitor da Universidade de Brasília, José Geraldo de Sousa Júnior, e do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no DF, Francisco Caputo.

Na tarde de ontem, os parlamentares visitaram o acampamento dos professores em greve, na Praça do Buriti. Apesar de eleito pelo Rio de Janeiro, o deputado Chico Alencar (PSol) também compareceu ao ato político. “Estou aqui na condição de deputado da educação pública gratuita e de qualidade”, disse Alencar sobre sua presença na visita. “O Brasil sofre uma degradação política e esta luta é exemplar para todo o país”, acrescentou.