Depois de ouvir muitas reclamações quanto ao número de casos em que advogados tiveram suas prerrogativas violadas em prisões, membro da Comissão de Prerrogativas e conselheiro seccional Divaldo Theophilo de Oliveira Netto resolveu criar uma agenda de reuniões para atender à demanda dos advogados criminais. O primeiro encontro aconteceu na noite desta terça-feira (29/01) com o objetivo de abrir o canal de diálogo e torná-lo uma atividade regular.

“O lugar de resolver as omissões da Ordem é na própria entidade, devemos trazer e levantar os problemas para que busquemos juntos as soluções. Pedimos para que os colegas que estivessem desgostosos viessem nos encontrar e o resultado foi muito proveitoso”, resume Divaldo.

O debate foi aberto pelo presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha, e conduzido por Divaldo e pelos conselheiros seccionais Marcel Versiani, Cláudio Demczuk de Alencar e Wendel de Faria. De acordo com Marcel, “são inúmeras as reclamações dos advogados quanto atendimentos, dias de visitação e nós reconhecemos o desrespeito às prerrogativas, nós vamos atuar para sanar os problemas e agir de forma preventiva”.

Outras ações

Ainda nesta terça-feira, Ibaneis Rocha entrou em contato com o diretor do Centro de Detenção Provisória (CDP) da Papuda, Nivaldo Oliveira, para garantir que a greve dos agentes penitenciários não atinja o atendimento aos advogados. Os trabalhadores aderiram à paralisação nacional que acontecerá nesta quarta-feira (30/01). O protesto é contra o veto da presidenta Dilma Rouseeff ao PLC 87/2011, que concedia o porte de arma de fogo aos agentes fora do horário de serviço.

Reportagem e fotos – Dandara Lima
Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF