Os desembargadores Flávio Renato Rostirola e José Cruz Macedo, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), estiveram na OAB/DF, na quinta-feira (26), para apresentar o projeto Justiça Moderna aos conselheiros da Ordem. O sistema disponibiliza na Internet todas as etapas do ciclo de andamento dos processos de primeiro grau. “É uma revolução na automação do judiciário com o objetivo de alcançar a melhor forma de atendimento ao jurisdicionado”, disse o desembargador Cruz Macedo.

Vanguardista na modernização dos trabalhos jurídicos, o TJDFT implantará o sistema como experiência-piloto no Fórum de Taguatinga. Para tanto, foram instalados 317 novos computadores no local. Entre as principais funcionalidades do Justiça Moderna estão as consulta a banco de dados, peticionamento eletrônico, contagem de prazos automática, encaminhamento de pauta à publicação e remessa eletrônica de mandados.

O juiz Rômulo de Araújo Mendes, um dos principais responsáveis pelo sistema, afirma, entretanto, que o projeto só terá êxito se houver a participação massiva dos profissionais de Direito. “A implantação de qualquer sistema é dolorosa porque sempre aparecem alguns problemas, mas precisamos muito da participação do advogado para concretizar esse projeto”, disse.

Com a utilização do sistema, o advogado reduzirá o número de visitas ao tribunal e deverá agilizar o acompanhamento dos processos. “Nosso sonho é que os advogados parem de ir ao balcão e diminuam aquelas pilhas sobre as mesas”, comentou o juiz Rômulo.

Segundo o desembargador Cruz Macedo, a modernização auxiliará, também, o próprio tribunal e ajudará a reduzir gastos. “Com o acompanhamento pela Internet, os nossos funcionários poderão priorizar outras tarefas”, lembrou o magistrado. “O projeto é realidade e permite a racionalização do judiciário”, completou.