Novos advogados recebem carteiras em cerimônia que destacou prerrogativas e direitos fundamentais 

Brasília 17/8/2015 – A Ordem dos Advogados do Distrito Federal (OAB/DF) entregou carteiras, nesta sexta-feira (14), a 194 novos profissionais. Foram realizadas duas cerimônias na sede da Seccional. O presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha, abriu a primeira cerimônia agradecendo aos membros da diretoria presentes e demais colaboradores. “Vocês que fazem parte da instituição contribuem para o bom funcionamento da Ordem, para que ela consiga realizar o seu propósito e papel social”, disse.

“O advogado é indispensável para a administração da Justiça, e não falo da justiça dos tribunais, mas a justiça social, aquela que se busca para que o cidadão seja mais valorizado”, disse Ibaneis. O presidente da Seccional também falou sobre a atual crise política no país. “Sem a participação dos advogados e da Ordem dos Advogados, dificilmente conseguiremos dar um rumo à situação do país”, concluiu.

paraninfo 1O paraninfo da primeira turma, conselheiro e presidente da Comissão de Orçamento e Contas da OAB/DF, Carlos Augusto Lima, falou sobre sua jornada dentro do Direito. Segundo ele, que se tornou advogado aos 40 anos, os novos profissionais devem sempre lembrar que o exercício diário da advocacia é a garantia de que os direitos fundamentais inscritos na Constituição não sejam meras letras mortas. Lima também aconselhou aos advogados a serem sempre corajosos. “Não nos é dado o luxo de ser tímido quando os direitos e a liberdade do cliente estão em jogo”, concluiu.

“Acredito que o direito me mudou para sempre. Não consigo deixar de pensar que ele é essencial à convivência pacífica e ideal”, relatou o orador da primeira cerimônia, Leonardo Arêba. Ele falou sobre os votos feitos pelos novos profissionais ao receber a carteira. “Sigamos firmes nessa nova etapa, apliquemos todo o conhecimento com dedicação e ética”, disse. Segundo Arêba, os colegas advogados agora têm um compromisso com a sociedade.

2O paraninfo da segunda cerimônia, conselheiro da OAB/DF, André Lopes, deu as boas-vindas aos novos advogados e parabenizou os profissionais. “Vim aqui para dizer o quanto a responsabilidade está nas mãos de vocês agora”, disse. O paraninfo ressaltou que os advogados devem se manter atentos e ter sempre coragem de desafiar  lei os decisões que afrontem a Constituição. “É uma tarefa árdua, mas devemos fazer isso sempre que estivermos diante de uma violação”, disse. Ele também aconselhou os advogados a se entregarem sempre as causas. “Amem o direito e se esforcem cada vez mais. Tenham a OAB como a casa de vocês”, concluiu Lopes.

O orador da segunda turma, Jonatas Jean da Cruz, falou sobre a importância da OAB em seu discurso. “Aqui somos protegidos em nossas prerrogativas legais e aqui é onde cada um de nós hoje começamos e devemos retornar sempre que possível, para acrescentar novos aprendizados”, disse. Cruz também falou sobre os princípios que os advogados devem ter e aplicar na carreira. “Devemos primar pela ética e a defesa dos direitos humanos. Sejamos ávidos em buscar a justiça”, concluiu.

1Compuseram mesa na primeira cerimônia, o presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha; o vice-presidente, Severino Cajazeiras, secretária-geral, Daniela Teixeira; o secretário-geral adjunto, Juliano Costa Couto; o paraninfo, conselheiro e presidente da Comissão de Orçamento e Contas da OAB/DF, Carlos Augusto Lima; o presidente da Comissão de Direito Sindical e Associativo, Ítalo Maciel Magalhães; a presidente da Comissão de Exame de Ordem, Renata de Castro Viana; o presidente da Comissão de Fiscalização de Concurso Público, Fernando de Assis Bontempo; a integrante da Comissão de Assuntos Legislativos, Caroline Sena; e a advogada Ildecer Menezes de Amorim.

Compuseram mesa na segunda cerimônia, o presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha; o vice-presidente, Severino Cajazeiras, secretária-geral, Daniela Teixeira; o secretário-geral adjunto, Juliano Costa Couto; o diretor tesoureiro, Antonio Alves; o paraninfo, conselheiro da OAB/DF, André Lopes; o membro da Comissão de Direito do Trabalho, Alceste Vilela; o presidente da Comissão Permanente de Ciências Criminais e Segurança Pública, Alexandre Queiroz; o presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, Camilo Noleto; o presidente da Comissão de Orçamentos e Contas, Carlos Bezerra; a presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais e da Mulher Advogada, Cristiane Pantoja; o presidente da Comissão de Direito Administrativo e Controle da Administração Pública, Elísio Freitas; o presidente da Comissão de Fiscalização de Concursos Públicos, Fernando de Assis Bontempo; o presidente da Comissão de Seleção, Maxmiliam Patriota; a presidente da Comissão de Exame de Ordem, Renata do Amaral; o presidente da Comissão do Advogado Empregado, Wanderson Menezes; os conselheiros Wendel Lemes e Silvestre Rodrigues; o deputado federal Cleuber Verde; o juiz assistente da Corregedoria do TJDFT, Márcio Evangelista; o ex-presidente da CAA/DF, Everardo Guerreiros; o vice-presidente da Comissão de Exame de Ordem, Artur Oliveira.

Abaixo, entrevista com as oradoras das cerimônias:

1Leonardo Arêba Pinto

Por que você escolheu ser advogado?

Eu escolhi a advocacia porque, dentro das Ciência Humanas, o Direito foi com o que eu mais me identifiquei. Eu comecei a investir nessa formação desde o ensino médio e a partir do momento em que eu tive o primeiro contato de fato com o Direito, o meu amor só cresceu. Eu como ele é essencial para a sociedade, para que nós possamos viver em harmonia e para que consigamos defender os outros. Todos os dias são cometidas ilegalidades, os direitos das pessoas são violados, atrocidades acontecem e a sociedade, em sua maioria, não tem conhecimento suficiente para reagir a isso. Então essa é a relevância do Direito, para proteger a sociedade. Eu sempre quis crescer nesse sentido e me tornar relevante também.

Como você se vê profissionalmente daqui a 10 anos?

Eu pretendo seguir a carreira de advogado. É o que eu quero para minha vida. Eu comecei o mestrado assim que concluí a graduação e pretendo fazer um doutorado, porque acredito que vai me ajudar bastante durante a carreira. Daqui a 10 anos, além de advogar, eu também me imagino como professor, doutor em Direito e um advogado de sucesso, com uma carreira sólida.

Qual o papel da Ordem na sua jornada profissional?

A OAB é essencial, é o começo de tudo. O dia de hoje é um símbolo do início da minha carreira profissional. Eu espero que seja uma relação de trocas e eu sei que é um vínculo que terei para sempre com a instituição. Esse número que recebo hoje vai me permitir assinar petições, defender pessoas em audiências, assessorar, dar consultoria, ser um advogado de fato. E eu espero contribuir, cada vez mais, para o crescimento da instituição e que possa me apoiar também na OAB sempre que necessário.

3Jonatas Jean da Cruz Silva

Por que você escolheu ser advogado?

No princípio da faculdade eu era um jovem indeciso quanto a escolha de uma profissão, porém como comecei a ter os primeiros contatos na advocacia aos 13 anos no escritório do meu pai, ali eu pude ver que o Direito é um meio de transformação social. Em nosso escritório tínhamos muitas causas previdenciárias e a cada causa eu podia notar uma satisfação muito grande nos olhos dos clientes. E é por isso que ao termino da faculdade eu optei pela advocacia, pois ela é um meio de transformar o mundo.

Como você se vê profissionalmente daqui a 10 anos?

Daqui a 10 anos eu me vejo com um escritório de advocacia muito bem estruturado, dividido em três áreas: Previdenciária (aposentadoria rural, urbana, invalidez e outras que tanto podem ajudar pessoas carentes) e Recuperação e Falência (pois toda empresa tem uma função social e quando ela deixa de ter condições de operar, o mínimo que se pode fazer é a obrigação como advogado de liquidá-la e amenizar as perdas de centenas de trabalhadores)

Qual o papel da Ordem na sua jornada profissional?

A ordem dos advogados tem um papel fundamental que é dar um parâmetro para os novos advogados, parâmetro este que ela vem exercendo com muita presteza, pois na OAB temos vários cursos. E a meu ver um dos papeis mais importantes da OAB é a defesa das prerrogativas. Hoje em dia devido a firme atuação da OAB os abusos contra advogados são bem menores, porem aqui em Brasília sempre que preciso noto que a OAB é bem atuante nas defesas dos advogados.

Comunicação Social – Jornalismo
Fotos: Valter Zica
OAB/DF


Fique Informado

Fale Conosco


SEPN 516 Bloco B Lote 7 | Asa Norte | Brasília/DF | 70770-522 - Salas do Advogado

[email protected] - [email protected] - (61)3036-7000

Parceiros: