Brasília, 7/10/2013 – Com o intuito de debater temas de interesse da advocacia e apresentar a atuação da OAB/DF, foi realizado o primeiro Dia de Formação do Advogado, na sexta-feira (4), na sede da Seccional. Cerca de 20 advogados participaram do encontro, que contou com palestras do secretário-geral adjunto da Seccional, Juliano Costa Couto, do presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, Camilo Noleto, do coordenador do Escritório Modelo – Incubadora de Empresas de Advocacia, Alberto Araújo, o presidente do TED, Erik Bezerra, do vice-presidente da Comissão de Prerrogativas, Cláudio Demczuk de Alencar, e do conselheiro seccional Hamilton Oliveira Amoras.

Camilo Noleto apresentou a Comissão presidida por ele, que é conhecida como OAB Jovem, e convidou os advogados a participar dos trabalhados do grupo. Ele comentou sobre algumas dificuldades do início da carreira. “Eu trouxe algo que aconteceu comigo e pode estar acontecendo com vocês. Quando nós formamos, temos aquela indecisão sobre qual caminho seguir. Para começar na advocacia você precisa querer ser advogado e encontrar o seu perfil”. Ele também comentou sobre a dificuldade financeira no início da carreira e a motivação a crescer na profissão. “O maior salário que eu tive, quando comecei, foi a oportunidade e o aprendizado de estar num escritório e aparecer”, apontou Noleto.

Alberto Araújo comentou sobre os projetos realizados pelo Escritório Modelo da OAB, que objetiva dar suporte necessário aos advogados que estão inciando na profissão. “ Nós damos orientações e consultorias sobre atendimento ao cliente, utilização da tabela de honorários, sobre qual causa ou ação ajuizar em determinado caso e, ainda, temos um local onde vocês podem atender seus clientes”. O escritório modelo fica localizado no térreo do prédio da OAB/DF (516 norte), com atendimento durante o horário comercial.

Curso formação de ADV 07-10-2013 003 (1)O conselheiro Hamilton Amoras, presidente da 5ª Turma do TED, expôs algumas ponderações sobre ética. “Nós sabemos que o currículo não contempla a disciplina com a profundidade necessária. O advogado chega à sociedade sem o conteúdo ético e boa parte dos alunos deixa o tema para trás para se dedicar a outras matérias. A ética é muito próxima do caráter de cada um”.

Erik Bezerra explicou que o Tribunal de Ética e Disciplina existe para regular, modular a conduta do advogado no mister da advocacia. Ele salientou, ainda, que os advogados devem ficar atentos quanto à ética profissional. “O Estatuto e Código de Ética são muito claros. Não podemos cometer nenhuma infração disciplinar, sob pena de ser fiscalizado pelo TED e ter a abertura de um processo ético-disciplina que resulte em advertência, suspensão ou exclusão”.

Sobre as prerrogativas, Claudio Alencar disse que os advogados têm direitos e obrigações. “A prerrogativa é um direito do advogado, mas de certa forma também é um dever. Prerrogativas são direitos do advogado, mas não foram criadas em favor do advogado, mas em favor do cliente do advogado. As prerrogativas são os meios que nos foram outorgados pela lei para possamos cumprir a nossa missão de bem defender o nosso cliente. Se não existissem as prerrogativas, o trabalho do advogado seria vazio”, apontou.

Juliano Costa Couto apresentou aos presentes o funcionamento da Seccional. Ele finalizou ao dizer que “ganhar dinheiro com prazer é maravilhoso. Fiquem atentos, avaliando a si próprios, sua alma e qual área da advocacia pode lhe dar mais deleite. Quando você escolhe isso, facilita muito o apego, a dedicação e a perseverança na escolha e no sucesso da advocacia”.

_MG_9296A advogada Leonora de Abreu Benvenuto foi uma das participantes do evento. Atuando como professora, Leonora pretende se dedicar integralmente à advocacia quando se aposentar. “Ser advogada me dá a prerrogativa de defender profissionalmente as minorias. A OAB está me dando a oportunidade de realmente aprender a iniciar uma nova carreira. Quero ser uma advogada digna, de ter a confiança das pessoas. O que eu vou defender é o direito de alguém e se eu errar, essa pessoa pode ter prejuízos irreversíveis”, apontou.

Também participante, o professor Edilson Barbosa disse que tem uma veia argumentativa muito forte e isso o motivou a ser advogado. “Participei do evento para conhecer a OAB, as prerrogativas e como lutar por elas e, principalmente, a captação de clientes. Ficamos inseguros no início da profissão e o curso me deu segurança para isso”.

Reportagem – Tatielly Diniz
Fotos – Valter Zica
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF