“A reforma do Judiciário se faz necessária por se tratar da chave-mestra com vistas a abrir o caminho para a tão ansiada meta nacional: justiça mais célere e mais aberta a todos. Uma reforma destinada não à resolução dos problemas internos do Poder Judiciário, mas ao atendimento dos anseios de um povo que pretende ser civilizado”.  Com estas palavras a presidente da OAB/DF, Estefânia Viveiros abriu hoje (28) sua palestra no XI Encontro Estadual dos Advogados Mineiros, em Araxá (MG), que reuniu alguns dos maiores juristas do país para discutir a reforma do Judiciário, entre eles os presidentes do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim, da Ordem dos Advogados do Brasil – Conselho Federal, Roberto Antonio Busato, e do Superior Tribunal de Justiça, Edson Vidigal.  Segundo Estefânia Viveiros, a classe sempre esperou uma reforma que dê ao Judiciário o perfil do Brasil contemporâneo, de profundos problemas estruturais e que tem pressa em resolver cada um deles. A presidente da OAB/DF criticou a tendência cada vez mais centralizadora e uniformizadora da Justiça, em sua opinião um claro reflexo do intervencionismo do governo central em todas as unidades da Federação, e destacou o papel exercido pela OAB na luta em prol do Conselho Nacional de Justiça.  “Uma Justiça mais célere só será possível se de fato forem resolvidos os problemas de ordem estrutural desse Poder, que ainda padece de falta de juízes, de material, de tecnologia, e da compreensão do próprio Estado sobre o seu papel”, afirmou.  O Encontro dos Advogados Mineiros é uma iniciativa da OAB/MG, presidida por Raimundo Cândido Júnior, e pela 33ª Subseção – Araxá, sob a presidência de Marco Túlio Cardoso Porfírio.