Brasília, 28/10/10 – O encerramento do 1º Encontro Regional dos Advogados Jovens, realizado pela Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante da OAB/DF, aconteceu no sábado (23/10), com almoço de confraternização no restaurante Miau Que Mia. O presidente Délio Lins e Silva Junior declarou que “o encontro foi um sucesso total. Tivemos mais inscrições do que o esperado, cerca de 250. Todas as atividades foram elogiadas pelos participantes, as oficinas estavam lotadas e as discussões trouxeram esclarecimentos importantes”.

O presidente da Comissão da Advocacia Jovem da OAB/GO, Enil Henrique de Souza Neto, acredita que “o encontro serviu para mudança de perspectiva sobre a situação da advocacia. Tenho certeza de que os participantes saem daqui com esperanças renovadas na carreira. Ficou gravado nas mentes das pessoas que há prazer em ser advogado. A organização está de parabéns. Esse evento é um modelo brilhante para os próximos”.

O matogrossense Bruno Oliveira Castro, presidente da Comissão do Jovem Advogado em seu Estado, observou a importância de se apresentar aos iniciantes os prós e os contras dentre as opções oferecidas. “O jovem advogado tem uma gama de sentimentos conflitantes sobre como advogar, como iniciar-se no mercado, e esse encontro, com muita tranquilidade, clareza e objetividade, proporcionou uma boa orientação”, ponderou.

José Araújo, advogado há um ano, gostou de ouvir os relatos daqueles que consolidaram suas carreiras. “Dos profissionais hoje renomados muitos começaram de baixo, e isso é muito animador. Dá a certeza de que podemos ser bem-sucedidos na profissão que escolhemos e chegar aonde eles chegaram”. Ele também destaca o caráter integrador da confraternização. “Conheci aqui muita gente nova. Essas relações são importantes no aspecto profissional. Amizade também é importante”.

“Duas coisas foram importantes para mim,”afirmou Simone de Oliveira Costa, estudante do 9º semestre. “A primeira é que diminuiu a distância entre o advogado jovem e o veterano. A segunda foi trazer a consciência de que o concurso público não é a única nem a melhor opção”.

A vice-presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante da OAB/DF, Raquel de Oliveira, frisou que o objetivo foi alcançado. “As pessoas nos agradecem”, contou. “Estabelecemos o elo destes jovens com a Ordem. Agora eles sabem que, mesmo com as dificuldades iniciais, podem contar conosco e que não devem desanimar”.

Demétrius Crispim
Assessoria de Comunicação – OAB/DF