Duas solenidades de entrega de carteiras da Ordem dos Advogados do Brasil fecharam a agenda institucional da OAB em fevereiro.  A manhã desta sexta-feira, 26, foi marcada pela profundidade dos discursos pelas prerrogativas da advocacia.             Destaque à palavra do presidente da OAB/DF, Francisco Caputo,  que defendeu o engajamento dos novos advogados à causa institucional da advocacia e, principalmente, a participação nos acontecimentos da sociedade. “Venham, frequentem, participem da vida da Ordem. Isso é fundamental para a história da nossa entidade”, convocou Caputo, que esclareceu ainda que a OAB, nesse momento de crise em que Brasília vive, assumiu importante papel. “Faremos o que for possível para que o ordenamento jurídico prevaleça”. Para o vice-presidente da OAB/DF, Emens Pereira, que presidiu uma das cerimônias, é dever do advogado contribuir para a preservação do estado democrático de direito. “Temos a nossa função sagrada e constitucional de preservar o estado democrático de direito. Vamos à luta, vamos combater! Esta Casa é uma trincheira imbatível a favor da democracia”, exaltou. O secretário-geral da OAB/DF, Lincoln de Oliveira, paraninfo de uma das turmas, conclamou os novos advogados para atuarem com obstinação no ofício que elegeram para suas vidas: “É de coração aberto que lhes falo, para comungarmos desse sacerdócio que é a advocacia”.  Durante a cerimônia, que sobretudo realçou as atribuições da profissão, foram cento e cinquenta e seis os novos advogados que passaram a portar a carteira mais importante de suas carreiras.