A presidente da Seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Estefânia Viveiros, exigiu que o governo federal esclareça quem é responsável pela interceptação ilegal de uma conversa telefônica entre o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres. “As suspeitas de que a Abin e a Polícia Federal têm feito gravações ilegais obrigam o governo federal a investigar e esclarecer tudo”, disse Estefânia Viveiros. A suspeita de que a gravação de uma conversa entre o presidente do STF e o senador tenha sido feita pela Abin foi levantada pela revista Veja. Segundo reportagem publicada pela revista, autoridades e ex-autoridades dos três poderes têm sido investigadas ilegalmente pela Abin e pela PF. Para a presidente da OAB/DF, é preciso combater ações que levam à existência de um “Estado policial”, em que os organismos policiais se sobrepõem ao Judiciário e violam a Constituição e a lei. “Nós, advogados, e toda a sociedade brasileira precisamos combater todas as tentativas de fazer com que vivamos em um Estado policialesco,  que não respeita os princípios básicos do Estado de Direito Democrático, as liberdades e os direitos humanos”. O ministro Gilmar Mendes participou, na noite de quinta-feira, da VI Conferência dos Advogados do Distrito Federal, tendo, em sua palestra, feito fortes críticas ao “Estado policial”. A presidente da OAB/DF, na ocasião, prestou uma homenagem especial ao presidente do STF e apoiou suas palavras.