A presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal, Estefânia Viveiros, manifestou neste sábado (2) pesar pela morte do Papa João Paulo II, segundo ela um apóstolo da fé cristã e um defensor da paz mundial. Segundo Estefânia, este é um momento de luto para toda a Humanidade e os advogados do DF se juntam em oração na despedida do Sumo Pontífice.

“O Papa João Paulo II

simbolizou, como ninguém, a esperança de um mundo

mais tolerante e sem barreiras ideológicas.

Visitou praticamente todos os países

e buscou conciliar o pensamento da Igreja Católica com todos os credos do mundo. Isso, em parte, explica a sua imensa popularidade, o carinho com que todos o recebiam. João Paulo II soube ser universal”, afirmou Estefânia.

O Conselho Federal também emitiu nota oficial, assinada pelo presidente Roberto Busato. Diz a nota:

“A Ordem dos Advogados do Brasil lamenta, com profundo pesar, a morte de um dos mais importantes líderes da nossa História, o Papa João Paulo II. Caberá aos historiadores definir com melhor clareza o papel do Papa cuja fé assumiu um caráter revolucionário da paz, transformando-o em um reformador social. Nesse sentido, ele não foi um homem como os outros. Foi um homem extraordinário. Em um mundo dividido por credos, ideologias e intolerância, João Paulo II assumiu a atitude tradicional dos apóstolos: esteve presente em toda parte, ouviu todos os lados e falou, ultrapassando o discurso comum da suspeita e da desconfiança, exprimindo as esperanças comuns dos homens e das mulheres de seu tempo, sem abandonar uma única letra do Evangelho. Foi o Papa da conciliação, da reconciliação, da solidariedade, da união e da democracia. São dele essas as palavras: “Vale a pena sofrer para defender o inocente e o oprimido; vale a pena sofrer para dignificar a existência humana”. A mensagem de João Paulo II não se apagará com a morte.”