A presidente da OAB/DF, Estefânia Viveiros, representa o presidente do Conselho Federal da OAB, Roberto Busato, na cerimônia de lançamento do CD Coletânea de Advogados Cearenses, logo mais às 18h30, no Espaço Cultural do Superior Tribunal de Justiça. A iniciativa é da Seccional da OAB do Ceará, que estará representada pelo seu presidente, Hélio Leitão, e pelo vice-presidente da Comissão de Cultura da Seccional, Ricardo Bacelar.

O nome da coletânea é Litisconsortes, que na linguagem técnico-jurídica são as partes comuns em um pólo da relação jurídico-processual. Etimologicamente, companheiros (consortes) no litígio (litis) – litisconsortes.

A Comissão de Cultura da OAB-CE acolheu a idéia do jornalista Nelson Augusto, da Rádio Universitária, de reunir em uma coletânea composições musicais de advogados cearenses. Após pesquisa e seleção de repertório desenvolvidas por Nelson Augusto e Nirez, a Comissão de Cultura, através dos advogados Manoela Queiroz e Ricardo Bacelar, finalizou o projeto com produção e lançamento do disco.

O trabalho encerra dez faixas com composições de letra e/ou música de autoria dos advogados: André Lopez, Cesar Barreto, Diassis Martins, Eugênio Leandro, Francis Valle, João Alfredo, Jorge Hélio, Luciano Maia, Ricardo Bacelar, Serrão e Virgílio Maia.

O roteiro do disco é variado, equilibrado pelo alto nível das composições, incluindo elementos da música brasileira em vertentes popular, regional, erudita e contemporânea. A obra traz, ainda, o resgate histórico do poeta Filgueiras Lima, na faixa “Fortaleza”; o poema “Da Água e do Vento” do advogado Luciano Maia, membro da Academia Cearense de Letras e a trilha sonora para o documentário sobre o jurista Paulo Bonavides, composta pelo advogado e pianista Ricardo Bacelar, integrante do extinto grupo musical Hanoi-Hanoi.

A capa e ilustrações do disco são de autoria da advogada e artista plástica Côca Torquato, membro da Comissão de Cultura da OAB-CE. O CD é institucional da OAB, produto invendável, com a especial colaboração dos participantes, que autorizaram gratuitamente a utilização de seus fonogramas e interpretações.

Com informações da Assessoria de Imprensa do Conselho Federal da OAB