Brasília, 22/8/2013 – O presidente da Comissão de Assuntos Institucionais da Seccional, Rafael Thomaz Favetti, e o membro da Comissão Pedro Henrique Costódio Rodrigues estiveram reunidos com o procurador-geral federal da AGU, Marcelo de Siqueira Freitas, para tratar de questões relacionadas ao exercício da advocacia perante à Administração Pública Federal, nessa terça-feira (20).

Durante a reunião, Favetti explicou que chegam à OAB/DF relatos de todo o Brasil, em razão da Seccional estar situada na Capital Federal, de advogados que têm tido algumas barreiras nas agências.

“Há relatos de que alguns servidores das agências não entendem o trabalho do advogado e desconsideram o Estatuto da Ordem. Também existe uma dificuldade enorme em relação à publicidade dos processos”.

O procurador-geral foi receptivo à demanda da Ordem e solicitou que a Comissão da Seccional encaminhe as queixas recebidas para que se chegue a uma solução conjunta. “Isso é um trabalho constante. Às vezes, a burocracia entra numa inércia. É bom solicitar às pessoas que estão mais próximas dos gestores e dos servidores lá na ponta, que são os procuradores-chefe, para ouvir do ponto de vista exógeno. Porque pode ser algo que para eles que está superado, resolvido e não está”, comentou.

Reportagem e foto – Tatielly Diniz
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF