Brasília, 2/1/2014 – Atendendo requerimento da Seccional da OAB do Distrito Federal, o Governo do DF reforçou a segurança na quadra C12 de Taguatinga. No mês de novembro de 2013, a OAB/DF promoveu ato para alertar e cobrar das autoridades ações efetivas no combate à violência na quadra, que é uma das mais movimentadas do centro da cidade. Na ocasião, mais de 100 advogados que mantêm seus escritórios nas proximidades participaram do ato, em frente ao Conselho Comunitário de Segurança de Taguatinga.

As medidas de segurança foram tomadas pelas Polícias Militar e Civil, de acordo com ofícios encaminhados à Seccional no fim do ano passado. A Polícia Civil implantou, em caráter excepcional e temporário, quatro Centrais de Flagrantes Regionalizadas, que funcionam em plantão nas seguintes delegacias: 15ª Delegacia de Polícia da Ceilândia; 21ª Delegacia de Polícia de Taguatinga Sul; 33ª Delegacia de Polícia de Santa Maria e 27ª Delegacia de Polícia do Recanto das Emas. As centrais também vão atender casos vinculados à Lei Maria da Penha, mesmo aqueles não configurados ‘flagrante delito’. 

Já a Polícia Militar informou que o setor central de Taguatinga tem recebido especial atenção com a criação da Companhia de Policiamento Comunitário, tendo como um dos seus focos a quadra C12, onde é empregado constantemente o policiamento a pé. Além disso, a quadra recebe diariamente uma viatura do 2º BPM, guarnecida de quatro políciais, no horário de 13h às 21h.

O ofício da Polícia Militar diz, ainda, que o local conta com a presença de diversos grupos de usuários de drogas que escondem-se quando percebem a presença da polícia e retornam quando as guarnições já partiram. “Nota-se que o problema do uso de drogas é, principalmente, de cunho social, cabendo ação dos órgãos competentes de serviço social”, diz o ofício assinado pelo comandante Edgar Cesar Fernandes Rojas. 

O presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha, disse que a iniciativa do governo é o primeiro passo para a solução do problema. “Ainda precisamos solucionar a questão do alto número de usuários de drogas, inclusive das crianças que são extremamente vulneráveis. Vamos continuar chamando a atenção do governo para que o problema seja totalmente resolvido”, afirmou.

Reportagem – Tatielly Diniz
Foto – Valter Zica
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF