Brasília, 09/03/2011 – O presidente da seccional DF da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Francisco Caputo, afirma que vai acompanhar de perto o processo que será instaurado contra a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN), flagrada em vídeo recebendo dinheiro do ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, para custear a campanha eleitoral em 2006.

Para Caputo, os integrantes da Câmara dos Deputados deverão ter uma postura ética ao optar pela cassação da deputada, afastando o incômodo e o desgaste de conviver com uma pessoa que se encontra numa situação comprometedora e degradante.

O presidente da OAB-DF também espera que a Justiça quebre o sigilo de novos vídeos, para que a cidade não permaneça na situação de insegurança jurídica que tomou conta do cenário do DF no ano passado. Acredita ainda que a população do DF amadureceu e terá plenas condições de cobrar posturas enérgicas das autoridades assim que apareçam outros personagens que estejam ligados a qualquer esquema de corrupção.

Qual será a posição da OAB-DF com relação ao caso da deputada Jaqueline Roriz, flagrada em vídeo recebendo dinheiro público para custear sua campanha em 2006?

A gente continua com a mesma posição desde o início: exigir das autoridades públicas, principalmente da polícia, do Judiciário e do Ministério Público uma apuração profunda, séria, e uma punição exemplar não apenas à deputada Jaqueline Roriz, mas a todos os políticos e agentes públicos que se envolveram nesse escândalo de desvio de dinheiro. Tenho certeza

que a atual direção da Câmara, liderada pelo deputado Marco Maia, e os novos deputados que assumiram o mandato não vão tolerar conviver com uma pessoa flagrada numa situação tão constrangedora quanto a deputada Jaqueline Roriz.

Fonte: Jornal de Brasília