Brasília, 3/9/2014 – Nelson Nery Jr., um dos maiores processualistas do país, fez duras críticas ao modo como o texto do projeto do Novo Código Civil foi formulado, com uma significante defasagem de diálogo político acerca de sua elaboração, segundo o professor titular da PUC-SP.

Nery afirmou que, do ponto de vista político, o código não privilegiou questões caras à sociedade. “A minha visão democrática do CPC é que o código é de caráter autoritário pelo poder Judiciário central e não teve nada a ver com a melhoria do ponto de vista político, não do ponto de vista pontual”, concluiu.

Porém, Nery ponderou que seria lamentável se a reformulação do CPC não for de fato efetivada pelos legisladores, destacando o que considerou alguns dos pontos positivos no texto do projeto do novo CPC.

A VIII Conferência dos Advogados do Distrito Federal segue ocorrendo no Auditório do Conselho Federal da OAB. “O Novo CPC e as Tutelas de Urgência”, por Nelson Nery, foi o tema do primeiro painel do evento, na manhã desta quarta-feira (3). O advogado Nelson Nery Jr. é um dos maiores especialistas do país no que se refere a Direito Civil e Processo Civil, sendo autor e organizador de mais de 90 obras e um dos pareceristas mais requisitados do país.

O Congresso é uma realização da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/DF) e da Caixa de Assistência dos Advogados do Distrito Federal (CAA/DF). O painel foi coordenado por Nelson Nery Jr, advogado e Doutor em Direito Processual Civil.

conferência dos ADV NELSON NERY 03-09-2014 027Compuseram a mesa, o vice-presidente da OAB/DF, Severino Cajazeiras, a secretária-geral da OAB/DF, Daniela Rodrigues Teixeira, o palestrante, graduado em Direito pela Universidade de Taubaté, livre-docente, doutor e mestre em Direito pela PUC-SP, doutor em Direito Processual Civil na Alemanha, professor titular da PUC/SP e da UNESP, advogado e autor renomado de diversas obras de Direito no Brasil, Nelson Nery Jr, a membro honorário vitalícia da OAB/DF e presidente da Comissão da Reforma do CPC no Conselho Federal da OAB, Estefânia Viveiros, o presidente da CAA/DF, Ricardo Peres e o conselheiro da OAB/DF e diretor da Escola Superior de Advocacia (ESA/DF), Jorge Amaury.

Reportagem – Sussane Martins
Foto – Valter Zica
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF