Ao comemorar 52 anos, a OAB/DF homenageou com a Medalha Miranda Lima empresas, instituições e personalidades com as quais mantém relação de reciprocidade na defesa da advocacia e das questões sociais. Um dos agraciados foi o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, que parabenizou a advocacia brasiliense e manifestou seu orgulho em receber tão honrada comenda. “Quero dividir essa homenagem com todos os advogados brasileiros, sobretudo com os advogados do Distrito Federal”.

Também foram agraciados a UnB, a Caesb e o Jornal de Brasília. Para o presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, a entidade não poderia deixar de reconhecer o papel da UnB para a advocacia, um exemplo de excelência no ensino jurídico. O Jornal de Brasília que, segundo Caputo, exerce um jornalismo livre e independente e é um grande aliado da sociedade. A Caesb que, nos momentos mais agudos, tem feito parceria com a entidade em campanhas solidárias. “Todos são merecedores dessa distinção Miranda Lima”.

Caputo lembra ainda a importância das personalidades que compõem os diversos tribunais, a maioria oriunda do Quinto Constitucional, dos membros da Advocacia Geral da União que, conforme ele, prestam um serviço fantástico em prol do Estado brasileiro e da sociedade. “Por serem exemplo de luta e pela contribuição decisiva para a Ordem ser do tamanho que é hoje, todos os advogados são merecedores da mais alta distinção e dessa forma singela de agradecimento que é a comenda Miranda Lima”.

Reciprocidade

A opinião dos homenageados é recíproca. Para Ophir Cavalcante, esta Seccional tem uma história muito importante para a consolidação da democracia no Brasil. “Aqui é a capital da República e aqui tivemos episódios bastante expressivos para o resgate da democracia. A OAB/DF continua a representar um marco dentro de todo o sistema OAB e da sociedade de Brasília na defesa dos direitos humanos, da justiça social, da publicação das leis e na defesa da Constituição”.

O reitor da UnB, José Geraldo de Souza Junior, destaca a “relação íntima” entre a UnB e a OAB/DF. “Ambas são expressão da luta pela qualidade do ensino. A OAB com a sua função estatutária de defender a formação jurídica e a UnB como expressão do ensino de qualidade. Isso se traduz na construção dos parâmetros para a boa formação do jurista”. Para reafirmar a sintonia entre os dois órgãos, o reitor lembra que a UnB participa de todas as discussões em defesa do Exame de Ordem e da qualificação do ensino do Direito. “As duas entidades se legitimaram historicamente, politicamente e institucionalmente. Por isso são sempre chamadas para atuar em questões que dizem respeito aos mais altos interesses da sociedade e do Estado”.

Conhecedor da história da OAB/DF, José Geraldo vê a entidade como protagonista da consolidação e da afirmação da cidade e da cidadania. “Vitimada pelo processo autoritário, Brasília não tinha expressão política. Tanto no período que precede a construção da representação política e da autonomia do DF – quando a Ordem foi de fato um espaço de manifestação da luta por direitos – quanto no enfrentamento ao processo de supressão das garantias, com a aplicação das medidas de intervenção com a interdição da entidade, exatamente porque a OAB era o espaço de representação da voz da cidadania e da luta por direito”. Para o reitor, a Ordem sempre esteve presente na defesa das salvaguardas constitucionais e foi a primeira Seccional do país a criar a Comissão de Direitos Humanos.

A homenagem à Caesb está pautada em parcerias de responsabilidade social ocorridas em momentos críticos no cenário nacional, como campanhas em prol de desabrigados. Conforme expressou o representante da companhia, Acylino José dos Santos Neto, “é uma honra muito grande receber esta homenagem. Estou muito contente em participar dessa solenidade e poder integrar às ações de cidadania que a OAB/DF desenvolve em prol do Direito, da sociedade e do país”. Para o representante do Jornal de Brasília, Marcos Pereira Lombarde, foi uma honra receber homenagem de uma entidade de alto renome. “Achei muito bonita a atitude da OAB/DF em relação às instituições e aos advogados. Isso confraterniza e une as pessoas”.

Reportagem – Helena Cirineu

Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF