Um adolescente de 16 anos, com deficiência mental, foi estuprado por vários presos na prisão de São Miguel do Guamá, município a cerca de 260 quilômetros de Belém. A informação foi transmitida nesta quinta-feira (29) pela presidente da OAB do Pará, Angela Sales, durante contato telefônico com o presidente nacional da entidade, Cezar Britto. Segundo Ângela Sales, a denúncia de mais um caso de exploração sexual no Pará ocorreu durante o depoimento de uma das detentas que foram transferidas de prisões do interior do estado para Ananindeua, na região metropolitana de Belém, conforme decreto da governadora Ana Júlia Carepa. Em seu relato no Centro de Recuperação Feminina, a detenta revelou que também ficou presa com vários homens, mas não sofreu nenhum tipo de violência ou abuso sexual. “Vi um adolescente, com deficiência mental, sendo estuprado pelos demais presos”, disse. Ela ainda afirmou que um policial teriam filmado toda a cena com o próprio celular. u003cp styleu003d”margin-bottom:0cm”>”Se conseguirmos depurar a polícia civil do estado, já estaremos prestando um grande serviço à sociedade paraense”, disse a presidente da OAB/PA. Segundo ela, serão realizadas investigações para identificar os envolvidos nas denúncias recebidas pela Seccional. “Na verdade, queremos é a demissão de todos os policiais caso os lamentáveis fatos sejam provados”, comentou. Segundo ela, a OAB também irá propor a abertura de processo crime por exploração sexual por parte dos policiais civis “Se conseguirmos depurar a polícia civil do estado, já estaremos prestando um grande serviço à sociedade paraense”, disse a presidente da OAB/PA. Segundo ela, serão realizadas investigações para identificar os envolvidos nas denúncias recebidas pela Seccional. “Na verdade, queremos é a demissão de todos os policiais caso os lamentáveis fatos sejam provados”, comentou. Segundo ela, a OAB também irá propor a abertura de processo crime por exploração sexual por parte dos policiais civis. Com informações do Conselho Federal