OAB/DF participa do 19º Encontro Nacional da Jovem Advocacia (Enja)

Após três dias de aprendizados e troca de experiências, chegou ao fim, na sexta-feira (2/12), o 19º Encontro Nacional da Jovem Advocacia (Enja), realizado em Salvador. Ao todo, 3,8 mil pessoas participaram das atividades, que contaram com palestras, workshops, debates, talk shows, todos abordando os principais assuntos de interesse dos profissionais de direito, além da realização da 4ª edição da Feira Baiana de Empreendedorismo Jurídico.

A vice-presidente da Seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/DF), Lenda Tariana, considerou o evento imprescindível para a visibilidade e amparo aos iniciantes na carreira de advogado. “O Enja é voltado para a jovem advocacia, que é um público que merece muito amparo e muita atenção da OAB. Esse é o primeiro Enja liderado pela jovem advocacia, onde historicamente os presidentes das comissões não eram jovens. Foi um evento pensado e idealizado por eles, é muito bacana ver a jovem advocacia trabalhando efetivamente na Ordem. Então, isso é o principal. Foi muito essencial também a interação dos jovens, vários vieram de caravana mostrando que a jovem advocacia está preocupada em se qualificar e se desenvolver, e a OAB dá esse amparo para essa jovem advocacia.”

A secretária-geral adjunta da OAB/DF, Roberta Queiroz, ressaltou que o Enja tem grande relevância para a advocacia nacional. “É por meio da jovem advocacia que há mudança de concepções, rompimento de barreiras e transcendência de novos valores. Para além do crescimento da advocacia jovem, esse encontro foi importante para uma reflexão global da força da nossa profissão e da crescente importância do papel da advocacia na guarda da democracia.”

O presidente da Coordenação Nacional das Caixas de Assistência dos Advogados (Concad) e presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Distrito Federal (CAADF), Eduardo Uchôa Athayde, também marcou presença no Enja. “O evento foi um sucesso, reuniu a jovem advocacia do Brasil inteiro e teve uma parceria e um apoio muito grande de todo o sistema, especialmente da Coordenação Nacional das Caixas de Assistência. Faço um registro, também, sobre o espaço compartilhado com a ESA Nacional e com a Caixa de Assistência da Bahia, que era a Caixa local. Além disso, eu fiquei muito feliz em falar sobre ‘Inovação e Gestão de Escritórios' em um painel que foi acompanhado pelo presidente da Caixa da Bahia, pela vice-presidente da OAB do Maranhão e por duas jovens advogadas que trataram de vários temas relevantes para a jovem advocacia.”

O presidente da Comissão da Advocacia Jovem e Iniciante, Lucas Kauffmann, reforçou que o Encontro mostrou a força, união e importância da jovem advocacia no cenário nacional. “Com a presença de mais de 3.000 jovens advogados e de palestrantes de relevante notoriedade na área jurídica, o Enja foi uma oportunidade de grande crescimento profissional, de amplo networking e de amadurecimento emocional. Sem dúvidas, a jovem advocacia termina o evento engrandecida e com ânimo renovado para implementar novos projetos, com o total e irrestrito apoio da Ordem dos Advogados. Esperamos ansiosos para participar do Enja 2023, que será sediado no Pará.”

Na esfera nacional, o diretor-tesoureiro da OAB, Leonardo Campos, registrou que foi o maior encontro de toda a história do Conselho Federal, de 92 anos. “Retomamos com força total após dois anos em razão da pandemia, o que já é um preparativo para a nossa conferência nacional, que será a Conferência das Liberdades, em Minas Gerais, em novembro de 2023. Desse encontro saem muitas perspectivas, muitas prospecções que certamente serão levadas para lá. A Bahia fecha com chave de ouro este evento, com a cara da Bahia e no Dia do Samba. Parabéns à jovem advocacia brasileira.”

O encerramento do evento contou com a conferência magna da ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia. Em sua manifestação, a magistrada parabenizou os jovens advogados pelo evento e desejou que a ética seja o princípio a reger todos os profissionais que estão chegando ao mercado de trabalho. Ela ainda conclamou os presentes a defenderem a democracia como forma de buscar a redução das desigualdades no país e a justiça.

“A democracia no Estado é tanto mais legítima, forte e, principalmente, dada à permanência, à medida em que ela tenha respaldo no caldo da cultura da sociedade. Uma sociedade democrática produz o direito justo e o Estado igualmente democrático. A ideia básica que se tem e você só pode viver achando que está em situação de justiça quando você é respeitado na sua dignidade, principalmente quando você sabe que tem o direito respeitado de ser igual a todos no que é sua dignidade humana e único na sua identidade humana”, defendeu a ministra.

O entusiasmo dos participantes foi destacado pela presidente da OAB-BA, Daniela Borges. “Todos os dias eu aprendi muito e agradeço a troca e oportunidade de ver o brilho nos olhos de cada um de vocês”. A presidente do Conselho Consultivo da Jovem Advocacia da OAB-BA, Sarah Barros, classificou o evento como “a realização de um sonho”.

Também se manifestaram o presidente da Comissão Nacional da Jovem Advocacia, Nil Ferreira, e o coordenador-geral do 19º Enja e diretor-tesoureiro da OAB-BA, Hermes Hilarião. O encontro foi realizado no Centro de Convenções de Salvador. A próxima edição do Enja será realizada no Pará.


Comunicação OAB/DF com informações da OAB Nacional


Fique Informado

Fale Conosco


SEPN 516 Bloco B Lote 7 | Asa Norte | Brasília/DF | 70770-522 - Salas do Advogado

[email protected] - [email protected] - (61)3036-7000

Parceiros: