A OAB/DF esteve presenta na manhã desta segunda-feira (21) ao Ato em Defesa dos Direitos Sociais e da Justiça do Trabalho” organizado pela Associação Brasileira dos Advogados Trabalhistas (ABRAT). A Seccional está as entidades parceiras. O manifesto foi realizado no Distrito Federal e em outras 41 cidades, entre capitais e municípios.

Durante seu discurso, o presidente da OAB/DF, Délio Lins e SIlva Junior, destacou que todas as entidades envolvidas neste ato devem enxergá-lo como uma mudança na história do país. “Estamos aqui a defender a Justiça do Trabalho sim, mas acho que este movimento é muito maior do que isso. A Justiça do Trabalho é importantíssima para o Brasil. Deveria ser vista e compreendida desta forma, e não ser atacada como vem sendo”, afirmou.

“É da Justiça do Trabalho que saem muitos dos bons exemplos que devem ser seguidos pelos outros ramos da Justiça. Não podemos criticá-la com o pífio argumento de que se trata de uma justiça cara. Arrecadar não é função de nenhum ramo da Justiça. As Justiças devem se preocupar com a pacificação social e com o fazer justiça. Todos vocês aqui presentes sintam-se abraçados pela Ordem porque nós sempre estaremos firmes e incansáveis na defesa do Estado Democrático de Direito”, concluiu o presidente.

A vice-presidente, Cristiane Damasceno, reforçou o importante papel da Justiça do Trabalho perante a sociedade. “Nós estamos aqui para proteger a Justiça do Trabalho, ramo da justiça de suma relevância para empregados e empregadores. Suprimir direitos nunca é bom porque denota uma característica do retrocesso. A OAB/DF está aqui presente para justamente preservar a importância dessa justiça para o cenário jurídico”, pontuou.

O secretário-geral da Seccional, Marcio Oliveira, também esteve presente ao manifesto e ressaltou que “a iniciativa representa a mais pura defesa do Estado Democrático de Direito. A Justiça do Trabalho é um marco histórico que devemos sempre respeitar e valorizar. A sociedade civil necessita da Justiça do Trabalho e nós estamos aqui, hoje, empenhados para defendê-la”.

Na avaliação do presidente da Comissão de Direito do Trabalho da OAB/DF, Fernando Abdala, “esse ato foi muito importante para chamar a atenção da sociedade para a importância da Justiça do Trabalho, ramo da justiça brasileira que há mais de 70 anos faz a mediação dessa tão conflituosa relação capital/trabalho. É fundamental que essa justiça seja valorizada para que tenhamos justiça social no Brasil. A Ordem dos Advogados vai continuar atuando firmemente para fortalecer a Justiça do Trabalho”.

A presidente da ABRAT, Alessandra Camarano, explicou que esta mobilização envolvendo dezenas de entidades parceiras “é o que realmente vai fazer a diferença para que tenhamos avanços no mundo do trabalho e para que não permitamos nenhum tipo de retrocesso”. Em seguida, ela leu ato nacional preparado pela entidade que será lido em todos os manifestos que ocorrerão nesta segunda-feira.

Elise Correia, vice-presidente da ABRAT/DF, agradeceu a presença de todas as entidades parceiras e alertou que o intuito do ato foi “defender os direitos sociais previstos na Constituição Federal constantemente atacados. Por isso, estamos aqui reunidos na defesa desses direitos e das instituições, o que inclui a defesa da Ordem dos Advogados, do sindicalismo, da OIT, da ordem social, da integralidade do Ministério do Trabalho e, em especial, da fiscalização do trabalho”.

Também presente ao evento, o presidente da AAT/DF, Carlúcio Coelho, enfatizou que toda a sociedade brasileira está unida na defesa da Justiça do Trabalho. “Gostaria de saber se temos aqui alguma entidade representativa do empresariado? Se essas entidades não estão aqui é porque há algo muito errado”, questionou.

Presenças – Estiveram presentes ao ato os conselheiros Seccionais Rodrigo Freitas, Josefina Serra dos Santos, Luis Cláudio de Moura Landers, Liliane Andrade, Felipe Mattos, Ana Luíza Pereira, André Santos, Newton Rubens de Oliveira, Thiago Guimarães Pereira, Thiago Holanda Barbosa e o vice-presidente da CAA/DF, Mauro Pires.