A OAB/DF se solidariza com o ato público em defesa da Justiça do Trabalho que será realizado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região na próxima sexta-feira (31), a partir das 12h, em frente ao Foro Trabalhista de Brasília (513 norte, W3). A Seccional convida os advogados a estarem presentes para lutar pelo fortalecimento da Justiça do Trabalho. O segmento é o que mais sofreu com os cortes do orçamento de 2016. A mobilização vai reunir magistrados, servidores, advogados trabalhistas e membros do Ministério Público do Trabalho.

Além da Décima Região, o ato também deve ocorrer nos demais Tribunais Regionais do Trabalho do país, em seus respectivos estados. O evento marca o lançamento de uma campanha nacional promovida pelo Colégio de Presidentes e Corregedores dos TRTs, que tem como objetivo mostrar que os direitos de empregados e empregadores só estão garantidos com uma Justiça do Trabalho forte e atuante.

Juliano Costa Couto, presidente da OAB/DF, destaca que a advocacia não aceitará a tentativa de enfraquecimento da Justiça do Trabalho.“É inadmissível se imaginar a extinção de uma justiça especializada que, certamente, se propõe a dar melhor equilíbrio nas relações de trabalho”.

Para Daniela Teixeira, vice-presidente da Seccional, em um país tão desigual, “a Justiça Trabalhista tem essencial papel de garantir as relações de trabalho. É preciso mostrar a todos que o excesso de impostos atravanca o capital produtivo e não a Justiça do Trabalho. A empresa que cumpre a lei não teme a justiça”.

Antonio Alves, diretor-tesoureiro da Seccional, enfatiza que “todos os advogados, os trabalhadores e os sindicalistas devem apoiar essa luta que é maior que a defesa da Justiça do Trabalho: é a defesa dos Direitos Sociais, da Constituição e da Sociedade”.

O ato tem o apoio da Comissão de Direito do Trabalho da OAB/DF, na pessoa do presidente Dino Andrade, do vice-presidente Alceste Vilela, do secretário-geral Fernando Russomano e da secretária-geral adjunta Sabrina Soares Piau e demais membros, bem como conta com o apoio da Comissão de Direito Sindical e Associativo, presidida por Denise Aparecida, e também do vice-presidente Claudio Santos, do secretário-geral Douglas Flores, da secretária-geral adjunta Caroline Sena, e dos demais integrantes.