A discussão sobre tráfico de drogas retratado pelo filme Meu Nome não é Johnny sai das telas do cinema e chega ao auditório da Livraria Cultura, em Brasília. Na segunda-feira (24), às 18h, artistas e personalidades conhecidas do Direito debaterão sobre o tema. Na ocasião, haverá apresentação do filme e lançamento do livro homônimo, do autor Guilherme Fiúza. O evento é aberto ao público e conta com o apoio institucional da Seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/DF). A mesa de debatedores contará com o produtor musical João Guilherme Estrella, ex-traficante que teve a própria história retratada nas obras; o advogado Renato Tonini, que fez a defesa de Estrella; e Guilherme Fiúza, autor do livro. Também participarão do debate o juiz federal Valter Nunes da Silva Júnior, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil; o subprocurador-geral da República Eugênio Aragão; o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello; o ministro do Superior Tribunal de Justiça Gilson Dippi; e o deputado Flávio Dino (PCdoB/MA). O roteiro cinematográfico de Meu Nome não é Johnny foi um dos mais comentados de 2008. A obra conta a história de João Estrella. Jovem de classe média, ele era adorado pelos pais e popular entre os amigos. Com espírito aventureiro e boêmio, no início dos anos 90, Estrella se tornou uma dos maiores traficantes de drogas da Zona Sul do Rio de Janeiro. Investigado pela polícia, foi preso e teve o próprio nome estampado nas capas dos jornais. Meu Nome não é Johnny – Segunda-feira (24), na Livraria Cultura Programação   18h    – Apresentação do filme   19h40 – Debate   20h40 – Coquetel de lançamento do livro   A Livraria Cultura fica no Casapark Shopping Center, SGCV-Sul, lote 22, loja 4-A.