Brasília, 19/11/2013 – O presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha, e a vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da entidade, Indira Quaresma, divulgaram nota, nesta terça-feira (19/11), em comemoração ao Dia da Consciência Negra, na qual destacam a importância das ações afirmativas para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Ibaneis e Indira defendem “ações afirmativas na forma de políticas públicas que assegurem oportunidades como forma de reparação de injustiças históricas”.

Leia a nota
Ao lembrarmos o Dia da Consciência Negra, comemorado oficialmente no dia 20 de novembro, devemos reconhecer que somos um país que ainda corre contra o tempo para resgatar a profunda dívida que um processo de colonização desumana nos legou. Nada nos chegou de graça, tudo é obra do sacrifício, plasmando uma identidade étnica que nos une como povo.

É hora, portanto, de defendermos a ampliação das ações afirmativas, na esperança de que, em futuro próximo, não exista posição de subordinação e inferioridade das pessoas que têm a cor da pele mais escura. Ações afirmativas na forma de políticas públicas que assegurem oportunidades a determinados grupos, como forma de reparação de injustiças históricas. E que contribuam para criar histórias de sucesso que possam funcionar como símbolo e motivação para os grupos desfavorecidos.

Desde as primeiras lutas de inclusão, que datam de 1931, quando o Exército brasileiro rejeitava candidatos filhos de negros nas escolas de formação de oficiais, até as atuais políticas de Estado que buscam equilibrar as chances de ascensão social em um cenário de desigualdades, há avanços notáveis. É clara a mudança na autoestima da população negra. O negro brasileiro já tem orgulho de se declarar negro. Mas ainda há muito a resgatar.

Devemos nos orgulhar de nossa condição de uma sociedade miscigenada que avança com o tempo, que almeja uma prosperidade ampla, democrática, socialmente responsável, onde o Direito e a Justiça imperem sobre todos.

Ibaneis Rocha – Presidente da OAB/DF

Indira Quaresma – vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/DF

Foto – Valter Zica
Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF