A OAB/DF solicitou à diretoria da penitenciária feminina do Distrito Federal que fossem tomadas providência para garantir os direitos dos advogados que precisam ter contato com clientes presos do sistema penitenciário. A Ouvidoria-Geral da Seccional registrou diversas reclamações sobre o caso. As principais queixas dos advogados são dificuldade de acesso aos clientes e a restrição do tempo de entrevista.

Representantes da Ouvidoria-Geral e da Comissão de Prerrogativas da OAB/DF entraram em contato na terça-feira (29/6) com a diretora da penitenciária feminina do Distrito Federal, delegada Deuselita Pereira Martins, e solicitaram que o Estatuto da OAB fosse respeitado, com a garantia do acesso amplo e ilimitado do advogado ao cliente preso.
Deuselita Martins disse considerar equivocada qualquer orientação contrária às prerrogativas dos advogados. Ela se comprometeu a cumprir a Lei. “Não vamos limitar o acesso dos advogados à penitenciária, mesmo em tempo de greve da Polícia Civil.”