Em solenidade realizada no último dia 11, a OAB/DF homenageou os dez novos advogados que obtiveram as melhores notas no II Exame de Ordem de 2006, dando início ao “Banco de Talentos”, sugerido pela Comissão OAB Jovem e aprovado pelo Conselho Pleno da OAB/DF.A diplomação ocorreu ao mesmo tempo em que 144 novos advogados prestavam compromisso perante a OAB/DF. O paraninfo da turma, Roberto Eduardo Giffoni, advogado público e presidente da Associação Nacional dos Procuradores Federais, relembrou o momento em que recebeu sua carteira da Ordem e fez questão de ressaltar a importância do Exame de Ordem para a advocacia. Afirmou ainda que os advogados precisam ter consciência das responsabilidades que têm para com as partes, o Estado e a sociedade. “O cartão de visita do advogado é o bom exercício da profissão”, declarou.A oradora da turma, Andréa Longhi, lembrou aos colegas que a profissão que escolheram “tem uma função social bem maior que a simples prestação de serviços. Um advogado não só é essencial à administração da Justiça, como também imprescindível para construir cidadania”. E chamou a atenção dos compromissandos: “hoje fizemos o juramento de exercer a profissão com dignidade e independência, de observar a ética, de defender a Constituição e as leis. Não pode ser vazia esta jura solene que acabamos de realizar. Mais do que ato formal, estas palavras devem determinar a postura a ser adotada pelo advogado”. Estiveram presentes na cerimônia, compondo a mesa ao lado da presidente Estefânia Viveiros, o vice-presidente da OAB/DF, Paulo Thompson Flores, Virgínia Solino, diretora-tesoureira da OAB/DF, Roberto Eduardo Giffoni, paraninfo da turma, Ademar Silva de Vasconcelos, juiz de Direito do TJDFT, conselheiro Jacques Veloso, presidente da OAB Jovem, conselheiro Ismail Gomes, presidente da Comissão de Seleção da OAB/DF, os conselheiros da OAB/DF Sabá Cordeiro e Castruz Catramby, Leonardo Mundim, conselheiro eleito da entidade, e membros da OAB Jovem que participaram do projeto “Banco de Talentos”. .