Brasília, 24/04/2012 – O presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, junto com o reitor da UnB, José Geraldo Sousa Junior, e parlamentares da bancada federal do DF, reuniram-se na segunda-feira (23/04), em ato político no acampamento do Sindicato dos Professores (Sinpro), em frente ao Palácio do Buriti. O grupo propôs mediar o diálogo entre a categoria, em greve há mais de 40 dias, e o GDF.

Os professores reivindicam equiparação média salarial com outras carreiras de nível superior, contratação de profissionais aprovados no último concurso da Secretaria de Educação e implantação do plano de saúde. De acordo com o Sinpro, todas as reivindicações estavam previstas no acordo firmado com o governo em abril do ano passado.

O governo afirma que concedeu reajuste salarial de 13,83% em 2011 e que não há como ter novos reajustes sem ultrapassar os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal. Alega haver aumentado o auxílio-alimentação em 55%, passando-o para R$ 307,00 mensais. Informa também que um plano de reestruturação da carreira oferecido à categoria em outubro do ano passado foi rejeitado pelo sindicato e que já convocou 400 professores concursados que aguardavam nomeação.

“Defendo e reconheço o inalienável direito de greve de todos os trabalhadores, mas tenho certeza de que muito melhor que a greve é conseguirmos o atendimento das justas reivindicações e colocar os professores de volta aos lugares onde se sentem mais à vontade: nas salas de aula”, disse Caputo. Segundo ele, é uma satisfação poder participar das negociações ao lado da UnB e da bancada federal. “É o reconhecimento da importância da OAB/DF na busca de soluções democráticas que atendam aos interesses da sociedade”.

Os professores se reúnem em assembleia nesta terça-feira (24/04).

Reportagem – Demétrius Crispim Ferreira
Foto – Valter Zica
Comunicação Social – JOrnalismo