Brasília – 04/05/2012 – A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Distrito Federal, cumprindo seu papel social e conciliador, teve relevante atuação nas negociações que culminaram com o fim da greve dos professores da rede pública de ensino do DF. O movimento durou 52 dias e, diante do impasse nas negociações entre o governo e a categoria, a OAB/DF uniu-se à UnB, à CUT, à CNTE e à bancada parlamentar distrital e à federal compondo uma comissão de mediação. Alcançou-se o objetivo de reabrir o diálogo e encontrar a alternativa de consenso para o fim de um movimento que deixou quase 500 mil alunos sem aulas.

Em 23 de abril, durante ato político no acampamento do Sinpro, em frente ao Palácio do Buriti, a comissão propôs mediar o diálogo entre o GDF e a categoria – à época em greve há mais de 40 dias. A OAB/DF participou do processo de negociação decisivo para a mudança de rumo do movimento. No dia 27, atendendo ao apelo da comissão, 80 professores decidiram desocupar pacificamente a Secretaria da Administração, no 6º andar do Anexo do Buriti, ocupado por cerca de 24 horas. No mesmo dia, também a pedido da comissão, o GDF aceitou receber uma comissão formada pelas entidades envolvidas na negociação e representantes do Sindicato dos Professores, visando restabelecer as negociações.

Desde então se iniciou um exaustivo processo de negociações no fim de semana que antecedeu o Dia do Trabalhador. Na véspera, 30 de abril, a comissão se reuniu na OAB/DF, elaborou uma pauta com 18 propostas e convidou representantes do Sinpro e do GDF para, juntos, discutirem a pauta. Após mais de três horas de reunião, as propostas foram aprovadas. O GDF cedeu, o Sinpro abriu mão de algumas reivindicações, e o documento foi aprovado na assembleia geral dos professores quarta-feira (02/05), suspendendo a greve.

O encontro de consenso na OAB/DF contou com a participação dos secretários da Administração, Wilmar Lacerda, e da Educação, Denílson Bento, dos deputados federais Roberto Policarpo e Érika Kokay, do deputado distrital Wasny de Roure, do presidente da CUT, José Eudes, do representante da Executiva Nacional da CUT, Antônio Lisboa, dos diretores do Sindicato dos Professores, Washington Dourado, Rosilene Corrêa e Cleber Soares, entre outros.

Para o presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, é muito importante participar de ações democráticas como esta, ao lado da UnB e das bancadas do DF. “Para mim foi uma grande satisfação compor a comissão mediadora da crise entre o GDF e os professores. Vejo esse convite como o reconhecimento do papel histórico da OAB/DF na busca de soluções que atendam aos interesses sociais”.

Reportagem e foto – Helena Cirineu
Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF