Brasília, 16/04/15 – A Seccional da OAB do Distrito Federal realizou, nesta quarta-feira (15), solenidade de entrega de carteiras para novos advogados. Mais de 100 profissionais fizeram o juramento diante de representantes da casa, familiares e autoridades.

O presidente da Casa, Ibaneis Rocha, saudou os novos colegas. “O significado de receber a carteira da Ordem é muito maior do que somente a habilitação para advogado. Receber a carteira é se colocar na sociedade como uma pessoa que tem condições de responder às demandas da mesma”, disse Ibaneis Rocha. “Isso tudo dá sentido a nossa profissão, é o que nos diferencia das demais profissões. Só o advogado pode defender a nossa sociedade que se mostra cada dia mais carente. As respostas da sociedade são dadas pela advocacia em todos os momentos”, concluiu.

thaisriedelA paraninfa da turma, a presidente da Comissão de Seguridade Social e conselheira Thais Riedel, também lembrou aos novos advogados que a carteira da OAB é um importante instrumento de Justiça social. “A Constituição traz expressamente a função social do advogado. Nós sabemos que infelizmente a nossa população sabe muito pouco sobre seus direitos. Somos nós advogados e advogadas que temos essa grande missão de garantir os direitos constitucionais, em viabilizar a Justiça. Enfim, em fazer virar real uma Justiça de papel”, afirmou.

Em seu discurso, o orador da turma, Adriano Martins de Sousa, enfatizou o papel da Ordem dos Advogados na história do país. “A Ordem dos Advogados do Brasil sempre esteve à frente das mais importantes lutas de nosso país, lutando sempre pela democracia, pela dignidade do cidadão e pela advocacia brasileira. A partir de hoje devemos nos orgulhar de fazermos parte dessa entidade de classe atuante nos principais momentos do nosso país”, disse.

mesaCompuseram mesa da solenidade o vice-presidente Severino Cajazeiras, o secretário-geral adjunto Juliano Costa Couto, o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do DF Ricardo Peres, o presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, conselheiro Camilo Noleto, o presidente da Comissão de Fiscalização de Concurso Público, conselheiro Fernando Assis Bontempo, o presidente da Comissão de Assuntos Legislativos e presidente da Coordenação das Comissões, conselheiro Jackson Domenico, o presidente da Comissão de Seleção, conselheiro Maxmiliam Patriota, a conselheira Jorivalma Muniz de Sousa, os ex-conselheiros da OAB/DF Frederico Donatti e Iran Aamaral, além do desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e presidente da Associação dos magistrados do DF, Sebastião Coelho.

Confira abaixo os planos, expectativas e metas na nova jornada profissional do orador Adriano Martins de Sousa, 33 anos:

adrianoPor que você escolheu ser advogado?
Eu trabalhei por quase cinco anos no departamento jurídico de uma federação e tenho alguns advogados na família. Foi daí que surgiu a vontade de ser advogado e, claro, por certa influência deles. Eu acho uma profissão bonita, responsável, que lida com a sociedade como um todo e também pela função social do advogado.

Como você se vê profissionalmente daqui a 10 anos?
Ainda não estou atuando na área, mas pretendo começar como autônomo. Depois quero ter meu escritório, em sociedade, com uma carta de clientes boa. Eu gosto muito das áreas de família e sucessões, penal, trabalhista e tributário.

Para você, qual o papel da Ordem na sua jornada profissional?
A OAB é de suma importância. A OAB poderá contar sempre com esse novo filho, que acaba de ser adotado, com ideias, soluções e aprimoramento em favor da advocacia e de questões relevantes para a sociedade brasileira.

Fotos – Valter Zica
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF