Brasília, 28/06/2011 – O presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, participou do lançamento na manhã desta terça-feira (28/06) do Comitê pela Verdade, Memória e Justiça do Distrito Federal (Comitê da Verdade-DF), na Universidade de Brasília. A ideia é contribuir para a aprovação do projeto de lei que instituirá a Comissão Nacional da Verdade. Também participaram do lançamento o Reitor da UnB, José Geraldo de Sousa Junior, e a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário.

O Comitê da Verdade-DF é formado por militantes de movimentos de Direitos Humanos, ex-presos políticos, anistiados, familiares de mortos e desaparecidos políticos e representantes de entidades da sociedade civil. Um de seus papeis é levantar o debate sobre questões como a responsabilidade de quem promoveu tortura, execuções sumárias ou o desaparecimento de pessoas.

O presidente Caputo ressaltou a participação da OAB/DF neste comitê como entidade que sempre lutou pela ampla democracia. “Para muitas famílias a tortura dos anos de chumbo ainda não acabou, porque essas pessoas estão sem respostas até hoje sobre o paradeiro de filhos, maridos, irmãos, pais e mães. Precisamos urgentemente abrir os documentos, tomar os depoimentos, apurar as responsabilidades, contar essa história, para nunca mais repeti-la”.

Segundo o vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Seccional, Ian Rodrigues Dias, “a OAB/DF tem uma história de enfrentamento com a ditadura, daí a importância de estarmos aqui participando dessa luta, que não deixa de ser uma luta para que se averigúe a verdade, a memória e a justiça daqueles que lutaram pela democratização desse país”.

“A OAB/DF tem grande importância nesse comitê. No seu papel de produzir respostas importantes para nação, ela sempre participou da luta democrática do Brasil. E hoje vivemos um momento especial por poder reunir todos e falar dessa memória e dessa verdade. A OAB/DF é parte da nossa democracia, lutou por ela e está nos ajudando muito para que o Brasil tenha sua comissão da verdade”, afirmou a ministra Maria do Rosário.

Além do Distrito Federal, vários comitês locais estão sendo criados em outros estados brasileiros com o objetivo de garantir o direito de memória às vítimas e a reparação dos direitos humanos violados durante o regime.

Assessoria de Comunicação – OAB/DF
Foto – Valter Zica