O presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, participou nesta segunda-feira (30/8) da reunião do Comitê de Análise da Conjuntura Política Brasileira da Câmara Americana de Comércio (Amcham Brasília). O objetivo é analisar e discutir questões ligadas à área de políticas públicas. O economista Raul Velloso discorreu sobre as perspectivas da economia para o próximo governo.

Na palestra, Velloso usou o termo “termômetro” para medir a taxa de risco do país, que está bastante baixa. Segundo ele, o Brasil, com uma economia fortemente integrada com o resto do mundo, tem de levar em conta o que acontece lá fora e se preparar aqui dentro para enfrentar os momentos difíceis da melhor maneira possível.
Ainda sobre o risco país, afirmou: “Quanto pior a situação lá de fora, pior a situação aqui dentro, maior risco, maiores juros e menos crescimento da economia.

Felizmente, nos últimos anos nós fizemos muitas melhorias; isso diminuiu esse termômetro. Tivemos a crise de 2008, mas do ponto de vista do Brasil o efeito externo foi pequeno, não nos atrapalhou muito. Isso significa que desse ponto de vista estamos razoavelmente preparados para o futuro”.

Segundo o conselheiro da OAB/DF e presidente do Comitê de Análise da Conjuntura Política Brasileira, Guilherme Farhat, “o economista deixou a mensagem clara de que temos vários pontos de interrogação e que ainda existem umas variáveis, mas que vão se encaixar com o tempo. O próximo governo está aí, acho que as coisas deverão continuar indo bem e o Brasil deverá continuar crescendo”.

Participaram do encontro cerca de 30 pessoas, entre elas a diretora do grupo Abril em Brasília, Ângela Azevedo. Ela disse que o tema é importante para os que trabalham como representantes de empresas na capital, “uma oportunidade de discutirmos como devemos nos mobilizar na defesa da livre iniciativa e da liberdade de expressão, que são dois fatores que impactam o crescimento econômico do país através de suas principais empresas”.

De acordo com o presidente da OAB/DF, “a Ordem tem a missão legal de velar pela observância irrestrita do ordenamento jurídico. Isso se torna mais importante quando a gente fala de segurança jurídica do ambiente de negócio, porque é isso que proporciona o desenvolvimento da nação e o bem-estar da população”. Caputo parabenizou o conselheiro da OAB/DF Guilherme Farhat, pela iniciativa de propor a análise das políticas públicas. O presidente também destacou a palestra do economista Raul Velloso: “Expôs com muita propriedade sobre o cenário atual e o ambiente pretérito, para que chegássemos nessa destacada posição econômica.”