O Conselho Pleno da OAB/DF prestou na noite desta quinta-feira (26) homenagem póstuma ao ex-presidente da entidade, membro honorário vitalício Moacir Belchior. O advogado faleceu aos 81 anos, em 16 de novembro, vítima de complicações pós-cirúrgicas. A homenagem foi conduzida pela presidente da Seccional, Estefânia Viveiros, e teve a presença de familiares do advogado, além do ex-presidente Francisco Ferreira de Castro, que discursou em nome da advocacia. “Como profissional, Moacir Belchior foi defensor de causas muito difíceis e como pessoa humana foi de coração e lealdade muito grandes”, afirmou Ferreira de Castro. O orador ressaltou o papel de Belchior na condução da OAB/DF durante a “época de chumbo” da ditadura militar. Belchior chegou a visitar todos os quartéis da cidade para resguardar a integridade de presos políticos. “Era um homem forte que zelava pela dignidade dessa instituição, tinha altivez para enfrentar os fuzis que ameaçavam os civis desse país”, afirmou o conselheiro seccional da OAB/DF Osmar Alves de Melo, um dos integrantes da diretoria dirigida por Belchior na década de 70. Ao final da solenidade, a presidente Estefânia Viveiros entregou aos familiares os documentos originais que registram o histórico na Ordem do homenageado. “Com muito orgulho, de forma justa, a OAB deixa os originais com a família”, disse Estefânia Viveiros.  A OAB/DF está digitalizando todo o arquivo da entidade. Esse procedimento teve início ano passado, com a devolução dos registros dos profissionais já falecidos. “Ficamos muito agradecidos, a família se sente muito grata pela homenagem”, disse o filho do homenageado, Rodrigo Belchior. Na opinião dele, uma das maiores contribuições do pai foi ter instalado o segundo escritório de advocacia de Brasília, ainda na Cidade Livre. Também estavam presentes a filha Simone de Almeida Belchior e o neto Yuri de Almeida Belchior.  Perfil Pioneiro da advocacia brasiliense, Moacir Belchior tinha a inscrição de número 221 na Seccional. Ele nasceu em 11 de março de 1928, em Corumbá de Goiás, e presidiu a OAB/DF de 1971 a 1973. Também foi subsecretário-geral da OAB Nacional, de 1985 a 1987. Em 2008, foi homenageado com um troféu de bronze na VI Conferência dos Advogados do DF, como um dos principais responsáveis pela defesa do Estado Democrático de Direito.