Alunas dizem que não se surpreendem com comentário flagrado nas redes, pois conduta racista do professor em sala de aula já havia sido denunciada e extremismo se agravou no período eleitoral. Em outra publicação, o professor debochou da menina de 10 anos estuprada e insinuou que ela poderia ter se defendido.

  •  A Comissão de Igualdade Racial da Ordem dos Advogados do Brasil da Seccional do Distrito Federal (OAB-DF) também publicou nota de repúdio em relação ao comentário com conteúdo racista feito por um professor da rede pública de ensino.

Reportagem publicada por Pragmatismo Político em 21/08/20

Acesse aqui.