Délio fala ao Programa Todos pelo DF sobre os desafios da advocacia (Rádio Atividade FM)

O presidente da Seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/DF), Délio Lins e Silva Jr., participou do Programa Todos pelo DF, conduzido pelo senador Izalci Lucas, na Rádio Atividade FM 107,1, no último domingo (17). Falou sobre as dificuldades que os advogados têm enfrentado no mercado de trabalho, como funcionam as subseções, defendeu o Exame de Ordem e também fez comentários sobre o acompanhamento da casa em relação à pandemia do novo coronavírus. A entrevista terminou com uma abordagem sobre os legados da atual gestão.

Segundo o presidente da OAB/DF, jovens advogados enfrentam diversas dificuldades após a formação e devem, permanentemente, buscar qualificação para atuar no mercado. “Hoje, no Distrito Federal, somos o estado que mais tem advogados per capita do país! Falo isso não para assustar quem entra na advocacia, mas para alertar a necessidade de se capacitar, pois sempre há espaço para os bons. É necessário preparar-se, estudar e mostrar a todos que tem um diferencial entre tantas pessoas. Assim, as portas vão se abrir”, afirmou.

Délio defendeu a necessidade de aplicação do Exame de Ordem, justamente, para medir o preparo dos que estão ingressando na carreira. Valorizou a ação de fiscalizar os cursos de Direito. “O crescimento de cursos é preocupante! A OAB/DF vem fiscalizando, por meio da Comissão de Ensino Jurídico, que, constantemente, visita faculdades e faz relatórios para avaliar a qualidade. Acompanhamos bem de perto”, explicou.

PANDEMIA

A OAB/DF tem acompanhado e organizado diversas ações, também, no que diz respeito à pandemia. “Enviamos mais de 340 ofícios, desde o início da pandemia, a diversos órgãos públicos (o GDF, os poderes Legislativo e Judiciário), visando que medidas sejam tomadas para o tratamento da Covid-19”, contou o presidente da Seccional.

Délio detalhou que “a OAB/DF, em março do ano passado, organizou um comitê para trabalhar especificamente sobre as questões da pandemia. Desde sempre temos dado o nosso apoio e participação na fiscalização do que ocorre acerca da doença. A última solicitação que fizemos é em relação à vacina. Essa é a nossa preocupação do momento”, afirmou.

Sobre o legado ao final deste mandato, Délio disse que gostaria de encerrar o período desta presidência com “uma OAB de portas abertas para todos, mais democrática”. Recordou grandes vitórias para advogadas e advogados de todo o país, com a aprovação pelo Conselho Federal da paridade de gênero (50%) e da política de cotas raciais para negros (30%), nas eleições de todo o sistema OAB. A OAB/DF já pratica a paridade de gênero e tem participação de negras e negros em seu Conselho Pleno (20%). “São bandeiras muito fortes e que lutamos de forma efetiva. Apoiamos em âmbito federal. Nosso ideal, portanto, é deixar a Casa plural e inclusiva”, observou.

Segundo Délio, avanços tecnológicos serão outro ponto alto no legado da atual gestão. A OAB/DF estará mais conectada com os avanços do século 21. “Hoje, temos portal de transparência, aplicativo, carteira digital, portal de serviços, entre outros… São benfeitorias que há dois anos não eram possíveis! As novas tecnologias vieram e temos de nos adaptar, mas lembrando que a Justiça sempre vai ser humana, feita por humanos e para humanos”, completou.

O presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Autismo, Edilson Barbosa, participou da entrevista, e falou sobre o desempenho da gestão: “Reforço que essa gestão tem dado todo apoio às 92 Comissões da Casa, condições e ferramentas de trabalho.” Elogiou ainda a condução da Subseção de Ceilândia, sob presidência de Leonardo Rabelo.

Edilson perguntou a Délio sobre a implantação de sessões remotas pelo Judiciário. Délio respondeu que “algumas coisas vieram para ficar”. O home office é tendência. Ele vê com “bons olhos” a possibilidade de profissionais interagirem com o Judiciário, por meio remoto, como opção. “Desde que não afaste o cidadão da Justiça”. A ressalva que o presidente da OAB/DF tem é quanto às audiências de instrução e às audiências de custódia, também em relação às sustentações orais, que, a seu ver, deveriam ser presenciais.

OAB na Mídia: principais trechos de entrevista do presidente da OAB/DF, Délio Lins e Silva Jr., ao Programa Todos pelo DF em 17/01/21


Fique Informado

Fale Conosco


SEPN 516 Bloco B Lote 7 | Asa Norte | Brasília/DF | 70770-522 - Salas do Advogado

[email protected] - [email protected] - (61)3036-7000

Parceiros: