Em relação à busca e apreensão de documentos na sede da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Distrito Federal, em operação efetuada pela Polícia Federal na tarde da última segunda-feira (3), o presidente da Seccional potiguar da OAB, Paulo Eduardo Teixeira, afirmou que a entidade é contra qualquer atitude que venha a tentar intimidar a atuação livre da Ordem dos Advogados do Brasil.

“Não se pode admitir atitudes dessa natureza, posto que a medida é uma demonstração de abuso de poder, devendo os agentes públicos, no caso o representante do Ministério Público e o juiz, serem responsabilizados”, afirmou Paulo Eduardo Teixeira. “Nossa Seccional, hipoteca total solidariedade à OAB-DF”.

Na manhã da última segunda (03), agentes da Polícia Federal e do Ministério Público cumpriram um mandado de busca e apreensão, solicitado pela procuradora da República Anna Carolina Resende de Azevedo e deferido pelo juiz da 10ª Vara Federal Criminal Ricardo Augusto Soares Leite. O objetivo era recolher, na sede da Seccional, material já disponibilizado pela Ordem e outros que ainda não haviam sido solicitados.