Brasília, 10/10/2013 – A diretoria da OAB/DF prestigiou o lançamento do Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem (Cebramar), cujo objetivo é a prevenção e a solução de conflitos pelos métodos de pacificação social existentes, bem como a difusão de conhecimentos. Participaram do lançamento a ex-presidente e membro honorário vitalício da OAB/DF, Estefânia Viveiros, o secretário-geral adjunto Juliano Costa Couto, o diretor tesoureiro Antonio Alves e a presidente da Comissão de Mediação e Arbitragem, Fabíola Orlando. 

Juliano Costa Couto disse que “Brasília têm diversas autoridades e pessoas renomadas com notável saber jurídico na área de mediação e arbitragem. Também possui demandas com alto valor econômico. A cidade está apta e é muito conveniente um centro de mediação e arbitragem para atender o centro-oeste e também o Distrito Federal”.

A ex-presidente da OAB/DF Estefânia Viveiros será uma das arbitras do Cebramar. Para ela, “é uma grande conquista para Brasília ter um instituto de mediação presidido pelo talentoso ex-ministro Cláudio Santos. É certeza de Sucesso.”

Fabíola Orlando também é diretora social, cultural e de comunicação do Cebramar. Para ela, “é um sonho de vários procuradores, juízes e promotores aposentados de fazer Brasília um grande centro expert na arbitragem e na mediação. Isso veio numa excelente época porque estamos no meio da reforma da Lei de Arbitragem e para mostrar que Brasília tem essa capacidade”.

O diretor tesoureiro Antonio Alves afirmou que é um passo muito importante para o desenvolvimento de uma fórmula de composição de conflitos sem a intervenção do Estado. “É quase que pioneiro no Distrito Federal o Cebramar e ele tem uma equipe extremamente conceituada. Eu considero mediação e arbitragem uma das formas mais civilizadas e modernas de composição de conflitos e solução de litígios”.

_MG_9317O lançamento foi marcado pela palestra do presidente da Câmara de Comércio Brasil-Canadá, Antonio Luiz Sampaio. “Estamos depositando uma confiança muito grande porque não somos concorrentes, somos congêneres. A região centro-oeste precisava ter uma entidade séria, capaz de trabalhar em conjunto com as principais entidades brasileiras, no desenvolvimento da mediação e da arbitragem”, pontuou. Ao finalizar, o presidente do Centro e ministro aposentado Francisco Claudio de Almeida Santos enfatizou que “o Cebramar pretende ocupar um espaço que vai do Amazonas aos Pampas e do cerrado ao mar”.

Reportagem e fotos – Tatielly Diniz
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF