O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realizou nesta segunda-feira (03) cerimônia de posse dos conselheiros novos e reconduzidos. As autoridades presentes à solenidade reforçaram o papel de planejamento adquirido pelo conselho desde sua criação. Na avaliação do presidente da instituição, ministro Gilmar Mendes, as atividades de fiscalização, controle, planejamento estratégico e informatização aprimoram o Judiciário e afetam outros órgãos. Dentre essas ações, “o planejamento estratégico é um instrumento indispensável à administração da justiça”, afirmou Mendes. O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, também ressaltou a importância do CNJ como órgão estratégico para traçar as políticas macro para o Poder Judiciário brasileiro. “O CNJ trouxe a idéia de que todo servidor deve prestar contas ao público, especialmente quando o bem tutelado é a Justiça”, afirmou. A presidente da OAB/DF, Estefânia Viveiros, e o vice-presidente da Seccional, Ibaneis Rocha, também estiveram presentes na cerimônia. Posse Os conselheiros recepcionados na solenidade de posse foram: Jorge Hélio Chaves de Oliveira e Jefferson Luiz Kraychychyn

(advogados e indicados pela OAB); juíza do trabalho Morgana de Almeida Richa

( indicada pelo TST); juiz de Direito Paulo de Tarso Tamburini Souza ( indicado pelo STF) ; desembargador Nelson Tomaz Braga ( indicado pelo TST), desembargador Leomar Barros Amorim de Sousa ( indicado pelo STJ) e o desembargador Milton Augusto de Brito Nobre ( indicado pelo STF) ; o promotor de justiça Felipe Locke Cavalcanti ( indicado e reconduzido pelo Ministério Público Estadual), o procurador José Adonis Callou de Araújo Sá

 

( indicado e reconduzido pelo MPU ) , o ministro Ives Gandra Martins Filho (indicado pelo TST); o juiz Walter Nunes da Silva Junior ( indicado pelo STJ); e o conselheiro Marcelo Nobre (indicado da Câmara dos Deputados). Com informações do CNJ Estefânia Viveiros e Ibaneis Rocha.