Brasília, 15/10/2014 – Na data em que se comemora o dia dos professores, os participantes da cerimônia de entrega de carteiras prestaram homenagem ao grande número de advogadas e advogados que se dedicam à carreira acadêmica. Oitenta novos advogados receberam as carteiras, nesta quarta-feira (14), na sede da Seccional. O vice-presidente da OAB/DF, Severino Cajazeiras, presidiu a solenidade para os novos advogados. 

A paraninfa da turma, conselheira Renata Amaral reforçou o papel social do avdogado. “Fiquei profundamente comovida e inicio o meu discurso apontando o dever, assumido nessa solenidade, pelos novos advogados em zelar pela salvaguarda dos princípios democráticos, visando sempre, aprimorar o desenvolvimento social e político de nossa nação”, afirmou. “Sempre os advogados e juristas devem ser agentes do progresso. Pelas precisas reformas sociais que propiciem na formação do direito pretoriano, patrocinam o interesse do povo”, acrescentou.

Ivan Morais demonstrou satisfação em representar os novos advogados como orador da turma e refletiu sobre o papel da profissão. “Advogar nos dias atuais é muito mais que querer. É persistência, teimosia e vocação. O desafio não é só o de exercer uma profissão, mas tirar dela o sustento de modo honesto e justo. Não adianta trazer um discurso encorajador como de Pontes de Miranda. A realidade é outra, doutores”, pontuou.

Compuseram mesa na entrega de carteiras o vice-presidente Severino Cajazeiras, o secretário-geral adjunto Juliano Costa Couto, diretor tesoureiro, Antonio Alves, os conselheiros Seccionais Camilo Noleto, Ilka Teodoro, Jackson Di Domenico, Leonardo Mundim, Jorivalma Muniz, Cristina Tubino, Luiz Henrique Sousa. Ainda participaram, Marcel Versiani, secretário-geral da comissão de prerrogativas, Alberto Araújo, coordenador do escritório modelo da OAB/DF. Também participaram Acelino Popó Freitas, deputado federal, Roney Nemer, deputado federal eleito e a subprocuradora-geral da República Sandra Cureau.

Confira abaixo a ideia do orador da turma sobre seus planos, expectativas e metas na nova jornada profissional:

20141610_entrega1Ivan Morais Ribeiro, 23 anos
Por que você escolheu ser advogado?
Ser advogado eu acredito que é uma vocação. Você nasce advogado, e eu acredito que eu tenha nascido com esse dom. E os meus objetivos e minhas futuras expectativas são as melhores possíveis.

Como você se vê profissionalmente daqui a 10 anos?
Espero que eu possa daqui a 10 anos, ter conseguido com a advocacia ajudar diversas pessoas e fazer o meu papel social de modo honesto e justo, independentemente de estar cobrando honorários caros, isso é consequência.

Para você, qual o papel da Ordem na sua jornada profissional?
Eu acho que a OAB tem um papel muito maior que isso, que demanda atenção de toda a sociedade. Para mim, o principal papel da Ordem é proteger e defender a sociedade. E os papeis secundários são proteger as prerrogativas do advogado e dar todo subsídio necessário para que ele possa exercer a sua profissão de modo digno.

Texto – Sussane Martins
Foto – Valter Zica
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF