Brasília, 22/12/2014 – A OAB/DF realizou na sexta-feira (19), duas cerimônias de entrega de carteiras para novos advogados. As solenidades foram as últimas do ano. Os 118 advogados receberam as boas-vindas do vice-presidente da Seccional, Severino Cajazeiras. “A OAB está em festa por recebê-los, a partir de hoje, vocês são a Ordem”.

Segundo o orador da primeira turma, Fernando Moreira disse que, a partir daquele momento, os novos advogados estão aptos e munidos das prerrogativas para lutarem por um país cada vez mais justo. “Estamos habilitados, inclusive juridicamente, a buscar uma sociedade igualitária, pela defesa do Estado Democrático de Direito e por uma democracia ampla e universal”. Moreira também destacou a importância do Exame de Ordem.

Os novos advogados prestaram compromisso no qual prometeram exercer a advocacia com dignidade e competência, observar a ética, deveres e prerrogativas profissionais. Eles receberam, além da carteira profissional, o bóton de identificação, a Cartilha do Jovem Advogado e o Estatuto da Advocacia.

2“Se por ventura forem provocados, jamais revidem da mesma forma, lembrem-se que a Ordem existe para defendê-los”, disse o paraninfo da segunda turma, Maxmiliam Patriota. O advogado, conselheiro e presidente da Comissão de Seleção da OAB/DF, aconselhou os novos profissionais a serem sempre éticos, firmes, combativos, mas sem nunca tripudiar sobre os adversários.

A oradora da segunda turma, Thaisy Menezes, relatou que o advogado é indispensável para a administração da justiça. Para ela, de nada adianta a lei para a sociedade se não houver quem a ampare contra os abusos. “De agora em diante, devemos proceder de forma que nos tornemos merecedores de respeito e que possamos contribuir para o prestígio da classe e da advocacia”, disse.

5Para o paraninfo da segunda cerimônia, o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal Hamilton Carvalhido, o Direito deve ser visto em cada lugar, em cada pessoa, em cada detalhe. “Não deixem nunca de ver em o Direito em tudo!”. Carvalhido ainda relatou que a Ordem sempre foi a muralha do Estado Democrático de Direito.

Compuseram mesa na primeira cerimônia o vice-presidente, Severino Cajazeiras; o paraninfo e presidente da Comissão de Seleção da OAB/DF, Maxmiliam Patriota; o presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, Camilo Noleto; o consultor geral legislativo do Senado Federal, Paulo Mohn; e a conselheira Elaine Starling.

Compuseram mesa na segunda cerimônia o vice-presidente, Severino Cajazeiras; o secretário-geral adjunto da Seccional, Juliano Costa Couto; o presidente da Comissão de Seleção da OAB/DF, Maxmiliam Patriota; o presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, Camilo Noleto; as conselheira Elaine Starling e Laura Costa; o diretor da Escola Superior de advocacia, Jorge Amaury; o presidente da Comissão de Orçamentos e Contas, Carlos Lima; a deputada distrital, Luzia de Paula; e o paraninfo, Hamilton Carvalhido.

Confira abaixo as ideias do orador da cerimônia sobre seus planos, expectativas e metas na nova jornada profissional:

1Fernando Moreira dos Santos – 30 anos

Por que você escolheu ser advogado?

Escolhi pela nobreza da profissão, por defender os direitos do cidadão e efetivando o Estado Democrático de Direito, já preconizado pela Constituição Federal.

Como você se vê profissionalmente daqui a 10 anos?

Me vejo com muito sucesso na carreira. Pretendo trabalhar na advocacia trabalhista e, se Deus permitir, na advocacia pública. Também quero participar ativamente das atividades da Ordem.

Para você, qual é o papel da Ordem na sua jornada profissional?

O papel da Ordem é importantíssimo no sentido de assegurar as prerrogativas e Direitos dos seus membros. Ela é essencial para a sociedade de modo geral.

4Thaisy Menezes Schmeisck Bomtempo – 25 anos

Por que você escolheu ser advogada?

Eu escolhi porque com 17 anos eu comecei a estudar para cursinho, e isso me despertou um interesse pelo Direito. Eu gostei de saber que posso defender as pessoas usando o poder judiciário para isso.

Como você se vê profissionalmente daqui a 10 anos?

Eu me vejo como uma advogada que defende os Direitos dos clientes e tentando crescer cada dia mais profissionalmente. Quero sempre aprender mais e contribuir com os interesses da Justiça. Pretendo trabalhar com o Direito Tributário.

Para você, qual é o papel da Ordem na sua jornada profissional?

A Ordem é uma instituição forte, importante, porque ela defende os nossos interesses. Ela é reconhecida publicamente, tem respeito por todas as pessoas e por outras instituições. Eu acho muito importante o corporativismo da Ordem.

Texto – Érica Fontoura
Fotos – Valter Zica
Comunicação social – Jornalismo