Preocupada com os altos índices de violência intrafamiliar, a subseção de Taguatinga promoveu neste domingo (26/8) a Caminhada pela Paz nos Lares da região administrativa. Mais de 200 pessoas participaram da ação, organizada por 13 comissões temáticas: de Combate à Violência Familiar; de Ciências Criminais; da Criança e do Adolescente; de Assuntos Comunitários; de Direitos Humanos; de Segurança Pública; de Empreendedorismo Jurídico; da Pessoa com Deficiência; das Pessoas Idosas; do Trabalho; do Direito Social e da Cidadania; da Família; e de Honorários.

“Foi uma linda, significativa e grande caminhada, um momento importante da advocacia de Taguatinga, que mostra nosso compromisso com o combate e o enfrentamento a todas as formas de violência”, comentou a presidente da Comissão de Combate à Violência Familiar, Lúcia Bessa.

O evento, em que cerca de 60 parceiros ofereceram variados serviços à população, faz parte do projeto Agosto pela Paz nos Lares, que integra o programa Advocacia pela Paz nos Lares de Taguatinga, lançado pela subseção. O encontro ofereceu atrações musicais e apresentações de personal trainers, capoterapia e krav manga e contou com a presença do administrador regional de Taguatinga, Geraldo Cesar de Araujo, dos deputados distritais Leandro Grass (Rede) e Julia Lucy (Novo), e de líderes comunitários e dirigentes de entidades.

Mobilização
Além da caminhada, foram realizadas em agosto, mês da advocacia, por meio do programa Advocacia pela Paz nos Lares, curso prático sobre como advogar na Lei Maria da Penha, com as professoras e advogadas Cristina Tubino e Marília Brambilla. Foi realizada ainda uma audiência pública, em parceria com a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), por meio de iniciativa promovida pelo deputado Leandro Grass (Rede), para debater a violência intrafamiliar.

O evento mobilizou cerca de 250 pessoas, entre as quais a deputada distrital Julia Lucy e a deputada federal, Erica Kokay, representantes do Judiciário, como a juíza Luciana Rocha, do Ministério Público do DF, da Secretaria de Assistência Social do Distrito Federal, do Sindicato dos Servidores da Assistência Social e Cultural do DF e de instituições de apoio às mulheres da sociedade civil. Um dos encaminhamentos do encontro foi a necessidade de criação de uma Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) na região de Ceilândia e de Taguatinga.

Para Lucia Bessa, o programa tem como objetivo articular o debate e promover atuação da advocacia em uma tema crucial da atualidade. “Acreditamos no importante papel social dos advogados e advogadas e sua forte influência na promoção da cultura de paz”, disse. “A atuação ética e não adversarial da advocacia nos litígios entretecidos nesse contexto influenciará positivamente toda a sociedade”, acrescentou.

O programa Advocacia pela Paz nos Lares de Taguatinga contará com debates abertos, que promovem a interação e a construção coletiva e multidisciplinar de proposições, além da publicação, em meio físico e virtual, de peças publicitárias e esclarecimentos técnicos para divulgar a mudança sociocultural por ele fomentada.

 

Comunicação OAB/DF
Texto: comissões da subseção de Taguatinga
Fotos: Valter Zica